Memorial

Companheiros de Pensamentos

quinta-feira, 5 de março de 2009

A minha prima sugeriu e aí vai:

Só conheci a minha prima há 10 anos. E ela continua a surpreender-me.
A força dela em determinadas situações delicadas… não me surpreende.
Algumas atitudes que, por vezes, não entendo, e fico surpreendida, ela esclarece-me.
Nestes anos, nem sempre tivemos de acordo em todos os assuntos… mas sempre conversámos (mesmo quando eu não estava com vontade de falar, ela insistia em resolver qualquer mal-entendido).
A vida não lhe sorriu sempre (a mim também não). A infância não teve só cor de rosa…
Atrevo-me a dizer que… a minha mãe entendia-a perfeitamente… Por quê? Por tanta coisa… mas talvez a principal… foi a semelhança de uma história de amor. Não é, Primana Rita?
E, já agora… Por quê tratamo-nos por “primana”?
Ah, é uma longa história! Mas, resumindo: já que não tivemos muita sorte nos irmãos que a Natureza nos ofereceu, estas primas transformaram-se em irmãs => prima + mana = primana. Simples? Não, não é simples. Todos os irmãos (os irmãos de verdade) discutem, amuam, magoam-se, reconciliam, amam-se e fazem surpresas.
E gostaria de partilhar esta surpresa que a minha primana Rita fez: o texto que se segue.
(Muito obrigada, primana Rita. Eu também GOSTO mesmo muito de ti.)



“Como te disse os teus comentários ao diário, não eram importantes. Apenas um conjunto de palavras, apenas uma amálgama de letras...Letras e palavras que correctamente organizadas eram somente um conjunto de elogios á tua pessoa. Portanto nada de importante...e porquê?Porque rapidamente os recuperarás! Rapidamente surgirão novos testemunhos de como és uma grande mulher, uma excelente educadora e amiga. Uma pessoa humilde, perspicaz e discreta mas atenta!!!Eu sei-o!!! Eu sei-o pelo que sinto quando estou contigo...quando te leio. Já te disse várias vezes que lamento não seres professora da minha filha. Nas tuas mãos... sei que estaria preparada não só para a escola, como para a vida. Contigo aprenderia a ser sem dúvida uma pessoa humilde, prática e positiva.Ainda me lembro do dia em que te conheci, visualizei uma pessoa longe de ser uma top model… achei que deverias sentir-te um pouco frustrada... no entanto aprendi rapidamente contigo que longe de seres um espanto de mulher bonita eras no entanto espantosamente feliz! Essa foi a primeira de muitas lições. Irradiavas alegria e já na época a tua melhor característica era sem dúvida a gargalhada solta, o saber fazer piada com o que de menos bom nos acontecia… Bolas e como acontecia... a nossa família passava sucessivamente por desgostos, afastamentos e perdas...Perdemos irmãos...pais...e filhos. Eu, voltei a ter essa alegria...tu, o destino não deixou. Mas ainda assim na tua, força interior encontraste forças...sabe Deus como... Dedicaste -te ainda mais aos teus alunos, chegando mesmo a dar-lhes a educação que tantos não tinham na escola, bem como o afecto que lhes faltava em casa. Resignada e contra todas as expectativas, aceitaste que, se calhar, era porque não era para ser... deste sem dúvida darias...uma educadora melhor, uma amiga mais dedicada, uma esposa mais extremosa... e sem dúvida uma dona persuasiva!Por tudo isto e porque continuo a admirar a tua capacidade de ver o lado mais positivo, o teu lado simples da vida de quem sabe que viver muito não é viver melhor!!... e digo isto porque ninguém melhor do que eu, sabe o quanto temos ambas uma forma de nos dedicarmos ao nosso mais que tudo...o mundo pode parar, até explodir desde que estejamos bem ao lado deles... Por isso, mais uma vez te peço...continua assim, porque eu, no meu egoísmo preciso de te ver a sorrir, gargalhar, para me sentir assim... feliz!Um beijo enorme para ti Primana. ADORO-TE MUITO! “

1 comentário:

Rita Caissotti disse...

Escreveria de novo...Minha primana,meu grilo falante,não tens noção (nem apróximadamente )do quanto gosto de ti e te admiro!

(...ó diabo e se seguires a dica dos canitos sentados na poltrona...fico tramada!)