Memorial

Companheiros de Pensamentos

sexta-feira, 14 de Novembro de 2014

Presente em forma de CONTO

A Margarida escreve maravilhosamente bem!
No seu blog mas tu és tudo e tivesse eu casa tu passarias à minha porta, ela escreve contos de 250 palavras a partir de palavras (até 5) sugeridas por seus seguidores. E mais uma vez, recebi um espetacular presente em forma de conto com o meu título: "E eu que pensava..."
Passem lá, leiam o "meu" conto e todos os outros e, acreditem, não vão conseguir largar aquele blog.

sábado, 8 de Novembro de 2014

COOKIE e BONECA


Hoje resolvi olhar fotos antigas.
Talvez por estar a aproximar-se a altura de que muitas pessoas dão cachorrinhos de presente, como se fossem um brinquedinho engraçado que os filhos fartam-se de pedir, detive-me em duas fotos.
A 1.ª é do Cookie, o meu primeiro cão, que foi-me oferecido quando eu nasci. É verdade; quando cheguei da maternidade, já lá estava.
Minha mãe sentou-se numa poltrona, chamou o Cookie e o Pimpão (na altura, já com os seus 11 aninhos), descobriu os meus pés e deixou que os dois “peludos” cheirassem, lambessem…
Ela contava esta história e dizia que a minha reação foi sorrir muito.
E assim, desde que me conheço por gente, sempre tive a companhia de um ou dois canitos. E também foi assim que, desde tenra idade, fui educada a cuidar, respeitar e procurar entender o cão. Meu pai até dizia: “o cão tem sempre razão”.
Não interessava a raça. Interessava aquele ser vivo que merecia toda a nossa atenção e responsabilidade.
Em certa altura, tivemos que ausentar-nos por cinco anos e o Cookie (o Pimpão já tinha falecido) ficou com familiares próximos, na mesma casa onde vivíamos. Quando retornámos, o Cookie já estava completamente cego, já tinha 13 aninhos; porém reconheceu cada um de nós, e sua alegria foi dobrada quando reencontrou minha mãe. Inesquecível!

A 2.ª foto é da Boneca.
A Boneca estava numa gaiola de uma loja de animais e impressionou-me porque, ao contrário do que costumamos ver com outros filhotinhos, essa coisinha minúscula mordia, raivosamente, a gaiola.
Perguntei ao dono da loja qual seria o preço dela (na esperança de estar além das minhas posses e conformar-me em não poder levá-la). Porém, ele respondeu que se eu sorrisse, dava-me de presente. Apesar de, na altura, ter uns 15 anos, conclui que aquele filhote devia ter algum defeito; ao que o dono esclareceu porque estava a oferecê-lo: não tinha raça e era fêmea. Imediatamente, olhei para a minha mãe e… lá trouxemos a Boneca.
A Boneca viveu quase 19 anos.
Quando alguém quer levar para casa um filhotinho fofinho, pequenino, engraçadinho, tem que ter plena consciência de tudo o que está em jogo. Está em jogo um bichinho que vai crescer, vai fazer asneiras, vai precisar de cuidados, principalmente, quando atinge a sua velhice.
A Boneca acabou por ficar cega, surda, com artrite (que dificultava muito a sua locomoção), teve que passar por duas cirurgias; mas sempre mereceu todo o nosso respeito, cuidado e muito, muito miminho.

Cão não é brinquedo!


terça-feira, 4 de Novembro de 2014

OUTONO = SEM PIO

Gosto imenso do Outono.
A variedade das cores que formam mantas bem bordadas cobrindo a matureza.
O Outono também marca o ínicio de um novo ano letivo, cheio de expectativas, de esperanças, de anseios,...
Mas... também está a tornar-se a época em que perco a voz!
Outra vez, "de molho", a antibiótico, a anti-inflamtório, a anti-alérgico!
Porém... nada vai mudar o meu sentimento querido por essa estação.
Continuo a gostar imenso do Outono.

domingo, 26 de Outubro de 2014

Agradecimento





Muitas vezes quando passamos certas situações, menos boas, surgem diversos sentimentos: raiva, tristeza, desconsolo, mágoa, deceção…
Depois, passado algum tempo, conseguimos ter outra visão acerca desses acontecimentos (por vezes, é preciso passar muito tempo…). Percebemos que, realmente, foi o melhor que poderia ter acontecido.
Nem sempre é fácil!
Precisamos tomar a devida distância para analisar todas as implicações que estão envolvidas nesses casos.
Alguns dirão que tem a ver com a idade… talvez… porém, hoje, consigo olhar para trás e dizer: OBRIGADA!
Obrigada por tudo o que passei, por tudo o que sofri, por tudo o que senti.
Agradeço, não por sentir que me tornei uma pessoa melhor (longe disso!), mas por dar valor a tudo o que tenho hoje, por tudo o que tenho conseguido até hoje, por ter aprendido tanto sobre a natureza humana, por ter aprendido a relativizar muita coisa.

MUITO OBRIGADA!


Tomara que possa ter sempre a perceção para retirar o melhor de todas as experiências vividas, sem necessitar de tomar tanta distância…

sábado, 18 de Outubro de 2014

AMIZADE

"A AMIZADE É COMO A FOSFORESCÊNCIA:
BRILHA MAIS QUANDO O MUNDO,
À NOSSA VOLTA, ESCURECE."
OBRIGADA!

sexta-feira, 10 de Outubro de 2014

Vergonha!

Por um lado, estou feliz pelo fato do Tejo estar bem melhor. Ainda não está a 100%, ainda não tem forças suficientes para se aguentar, apenas, nas patas traseiras, mas vai indo no seu ritmo.
Por outro lado, sinto uma enorme vergonha como alguém, que se diz "professor", trata com tanto descaso, incompetência, desconhecimento e estupidez os seus colegas. Enfim... vou manter minha boca fechada...

quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Camerata Heitor Villa-Lobos - Parte 01







No Dia Mundial da Música, presto minha homenagem a um Grande Maestro e Excelente Professor; o meu Professor António Manzione.

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

Tejo em recuperação

Fico sempre muito feliz com os comentários que são colocados neste meu "cantinho" e queria agradecer, em especial, os deixados no post anterior: "Oh, Tejo!"
Muito obrigada.
O Tejo tem feito repouso absoluto, o que tem contribuído muito para a sua recuperação. O Dr. quer que esse repouso absoluto continue mas está confiante que o meu "maluquito" vai ficar bem.

Obrigada!

domingo, 17 de Agosto de 2014

Oh, Tejo!

Esta é a única parte de que não gosto, no que diz respeito a animais: quando o Veterinário tem que ser requisitado!
O Tejo, que tem 25 kilos e é maluco por natureza, começou a coxear, a ficar muito tempo deitado na sua caminha e a olhar-me de um jeito que "dizia" que algo, menos bom, se passava.
No dia seguinte, não colocava a pata direita, traseira, no chão. Direto para o Veterinário.
Diagnóstico: rompimento dos tendões!
Meu coração apertou-se de uma maneira... Meu marido só não chorou porque... fez um enorme esforço..
O Dr., para além de aplicar-lhe uma injeção, recomendou REPOUSO ABSOLUTO.
O Dr. perguntou como isso podia ter acontecido.
Não sei!
Estou de férias, permanentemente em casa, com eles. Como pode ter acontecido?
O médico quis ver onde morávamos, pois se fosse preciso ir a casa, de urgência, não perderia tempo a procurar.
Quando chegou à nossa morada e viu as escadas de acesso... fez-se luz!
Claro que foi uma descida mais brusca (eu já disse que meu cão é maluco?).
Agora, o importante é conter a "maluquice" e fazer com que tenha o máximo de repouso (para que não seja preciso operar).
Mas o Tejo, para além de maluco, é muito esperto e já está a "poupar-se".
(Só receio que ele sinta uma pequena melhora e queira "amalucar-se".)
É nestas horas que eu queria gostar menos deles mas...

...é impossível não amá-los de todo o meu coração!


quinta-feira, 14 de Agosto de 2014

Obrigadooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O Kibon agradece todas as mensagens de Parabéns que recebeu e manda um "cheiro" a todos os companheiros da dona.