Memorial

Companheiros de Pensamentos

terça-feira, 1 de agosto de 2017

14 anos

Bodas de marfim é a comemoração dos 14 anos de casamento.
Na lógica das bodas de casamento, quanto maior o número de anos, maior será a resistência, valor e durabilidade do material que serve como símbolo da celebração.
Por ser um material de grande força e valor, o marfim foi associado ao décimo quarto ano de matrimónio. De acordo com a interpretação dada pela cultura popular das bodas de casamento, neste período o casal já desenvolveu uma relação muito mais sólida e concreta, após passar por diversos tipos de obstáculos na vida a dois.(e como!!!)

sábado, 20 de maio de 2017

Manter a diferença

Reencontrei, depois de uns bons anos, um colega de profissão que desenvolveu uma atividade com os meus alunos.
Quando terminou, disse-me:
- Continuas a fazer a diferença. Continuas a formar turmas bem comportadas, alegres e divertidas. Parabéns! Continua!
Sempre que levo a minha turma a uma visita de estudo ou atividade, recebo sempre os parabéns pelo seu comportamento e participação.
Muitas assistentes operacionais elogiam-me por fazer com que os meus alunos tenham respeito por elas e pelo seu trabalho.
Alguns encarregados de educação, que podem participar mais assiduamente, observam e gostam de ver como pode haver um ambiente descontraído sem deixar de lado o respeito mútuo.
Não espero elogios, nem cumprimentos quando trabalho com meus alunos.
Felizmente, alguns deles vêm com uma boa “bagagem“ de valores graças à educação recebida de seus pais. Infelizmente, para outros os valores são, unicamente, trabalhados em sala de aula.
O meu maior desejo é que eles percebam que o respeito a si próprio e ao outro é fundamental.
Porém, confesso, quando ouvi aquelas palavras de um colega de profissão, emocionei-me.


sábado, 22 de abril de 2017

Para os meus (sempre) filhos Henrique e Pedro


Olá Henrique e Pedro;


            Hoje vocês fariam 13 anos.

            Há 13 anos não cheguei a ver-te, Pedro. Não deixaram. Acredito que tenham feito para o meu bem. Assim, convenci-me que serias “a cara” do teu mano.

            Tu, Henrique, ainda lutaste pela vida por 20 dias! Foste um guerreiro!

           Durante 20 dias, vivi um pesadelo. Como desejava que fosse só um sonho mau… mas não era.

            Esse pesadelo dava uma pausa quando tu reagias à minha voz. Cheguei a dizer à Enfermeira Vanda: “Até parece que ele conhece a minha voz!” E essa Enfermeira, que era mais um Anjo de todos que formavam a equipa maravilhosa que te acompanhava, respondeu, sorrindo: “Claro que reconhece. Você é a Mãe dele!”

            Esses dias são as minhas memórias enquanto mãe.

            Só possuo essas memórias. Não tenho histórias para contar de como aprenderam a andar, a falar, a deixar as fraldas, do primeiro dia de escola, dos aniversários, das traquinices, dos gestos de carinho ou das birras…

            Apenas aqueles 20 dias onde em cada minuto travavas uma luta entre a vida e a morte. E a morte acabou por vencer!

            Porém, tenho a certeza que vocês estão bem.

            Como diz a canção: “Deus chama os que mais ama!” (Talvez seja por isso que já chamou os meus pais e os meus filhos.)

            Henrique e Pedro, agradeço o que me ensinaram. Ensinaram-me que a vida tem que ser vivida ao minuto.
          E não importa quanto tempo vive um filho, pois ele será amado com imensa intensidade enquanto viver… e mais além.

            Parabéns, meus filhos!

            Beijinhos da vossa Mãe e do vosso Pai;

Ana Paula
e Carlos
 

domingo, 26 de março de 2017

Pai



Hoje farias 90 anos. 
Farias?
Não.
Fazes!
Pois continuas vivo em mim,
no meu coração,
nas minhas memórias,
na pessoa que sou.
Parabéns, Pai!