Memorial

Companheiros de Pensamentos

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Para ti, Joaninha.


Ao vê-la, alguns diriam: “ É apenas uma criança.”
De certa forma, sim, pode-se dizer que é uma criança.
Uma criança que fui acompanhando o seu crescimento. Não como um elemento da família, não.
Fui acompanhando a sua sensibilidade, a sua graça, o seu sorriso, o seu olhar que diz tanto…
Quantas vezes, na sua ingenuidade infantil, dizia algo tão profundo, algo que ia de encontro com a saudade que tinha no meu peito, que eu tinha que fazer uma força danada para não desatar a chorar.
Não sabia bem o que responder a uma criança que tinha a capacidade de expressar com tão poucas palavras, toda a dor que eu sentia.
No dia do meu casamento, um dia em que eu tinha muitos sentimentos misturados, ela deu-me um daqueles abraços que só ela dava.
Meu Deus, como pode uns bracinhos tão pequeninos terem a capacidade de passar a sensação de estar a receber uma abraço do tamanho do mundo!
E assim, fui “vendo” essa criança crescer. Uma criança doce, educada, sensível, meiga. Uma criança que tem recebido uma educação excelente. Que tem recebido um apoio incondicional da parte da sua mãe e do seu pai, que sempre serão os seus únicos e verdadeiros amigos. É claro que ela tem e terá vários amigos, pois a sua presença é agradável e a sua companhia é doce. Mas NINGÚEM será tão sincero, tão presente, tão amigo como os seus pais. Disso não tenho a menor dúvida.
Gosto muito de ti, Joaninha.
Sei que já és grande para uma “Joaninha”, mas chamo-te assim devido ao grande carinho e afecto que sinto por ti. Espero que entendas e aceites continuar a chamar-te de “Joaninha”.
(Ainda lembro do teu avô (meu tio) e da minha mãe andarem sempre a procurar algo que tivesse “joaninhas” para a colecção que a tua mãe iniciou…)
Pois é, alguns diriam que és só uma criança…
Para mim, és e serás sempre alguém muito especial que me traz doces recordações e que sempre estará nos meus pensamentos. E podes ter a certeza que nada, nem ninguém mudará isso.

4 comentários:

Maria João disse...

Tantas emoções neste texto, Rosa. Bonito este reconhecimento, a alguém que terá contribuido e muito, para o teu enriquecimento das tua vida emotiva. Para além do orgulho que sentirás também!

Um beijinho especial para ti e para a Joaninha.

Rosa Carioca disse...

Tens razão. Joaninha é filha de uma prima. Tem 10 anos. Mas é especial para mim.

Carla Silva disse...

É bem mais fácil encontrar estas qualidades em crianças, é tudo tão puro, sem interesse, sem maldade...
Tenho duas cá em casa e em relação a estas sou suspeita em falar, mas por tudo o que me dão, por tudo o que aprendo todos os dias, pelo amor, que pensei que nunca fosse capaz de dar e receber, como costumo dizer, um amor incondicional, agradeço todos os dias por os ter na minha vida.
Fico feliz por ti e pela Joaninha, por esse sentimento que vos une e que como tu dizes, ninguém irá alterar.
Que dure essa magia sempre.
Beijinhos, muitos, para ti e para a Joaninha.

Rosa Carioca disse...

Tu podes ser suspeita mas eu, não. Adoro estar na companhia das tuas crianças. O André sabe transmitir uma paz e um afecto que faz um bem danado ao nosso coração. E a Princesa é um verdadeiro SHOW!!! Que Deus continue a abençoá-los.