Memorial

Companheiros de Pensamentos

quarta-feira, 29 de abril de 2009

"Consigo vêr o que eu quiser!!!"


"Na minha cozinha tenho uma janela, e nela vejo o que me apetecer. Consigo vêr as ondas do mar e ao longe o passar de um navio que se confunde no horizonte como um leve rabisco que atravessa o sol na sua plenitude, naquela côr que só o sol tem num quente mas fresco entardecer. Consigo sentir o cheiro de uma manhã fresca que a noite deixou marcas, como pequeninas gotas de orvalhada...hummm e que cheiro inconfundível... Embaciados ficam os vidros da minha janela, porque cá dentro a lareira está acesa, mas lá fora, uma noite fria mas um céu estrelado daqueles que nos fazem sonhar com fadas de encantar... ...consigo vêr tanta coisa da minha janela...sentir, cheirar, vêr...enfim, sonhar. A minha janela não é de ouro nem de prata, ainda está a ser construída mas, é feita essencialmente de carinho, muita cumplicidade, respeito e sobretudo de sonhos, tantos quanto nela couberem ou, tantos quanto "nós" quisermos sonhar!"



Ao ler este texto, senti-me a ser transportada através de uma janela que se abre para tantas sensações, sentimentos, recordações.



Obrigada, Carla, pelo texto que tu, gentilmente, me ofereceste.

1 comentário:

Anónimo disse...

Diz lá que eu na sou gentiliiii...
na na na é mais bolo de ananás com chantily.
Beijo Amiga, tu mereçes.

Carla Silva