Memorial

Companheiros de Pensamentos

sábado, 5 de maio de 2012

Minha Mãe

Não existem palavras suficientes para descrever o que sinto pela minha Mãe.
Minha grande e, muito sábia, Amiga, meu colo, minha cura, minha conselheira, meu TUDO.
Conhecia-me como ninguém... Eu não precisava falar para que ela me “ouvisse”.
Lia a minha alma.
Tinha sempre a palavra certa para toda e qualquer situação, por mais difícil que fosse.
Era o alicerce da nossa casa (como meu pai costumava sempre dizer a todos os seus amigos e colegas).
Possuía uma grande Fé; fé em Deus e no ser humano. Para ela, todas as pessoas mereciam uma segunda, terceira, quarta, ... , oportunidade.
Nunca desistia de nada e de ninguém. Sempre foi uma lutadora.
Era dona de uma força enorme que ultrapassava em muito a sua pequena e, aparente, frágil estatura. Sempre via “a luz ao fim do túnel. O seu lema era: melhores dias virão.
Nunca a ouvi ralhar, gritar ou elevar a voz. Inúmeras vezes, quando criança, não seguia as suas recomendações e acabava estatelada no chão, com joelhos e mãos esfolados. Corria, chorosa, para perto dela, temerosa que fosse ouvir um valente ralhete. Em vez disso, lá ia ela buscar o seu estojo de “primeiros socorros” e, ao mesmo tempo que tratava das minhas feridas, dizia “eu avisei, eu disse-te que isto podia acontecer”. E assim reagiu comigo sempre que alguma coisa corria mal, por não ter ouvido seus conselhos. Curava as minhas feridas, sem reprimendas, cuidava.
Transmitia uma calma, uma serenidade, não só ao meu pai e a mim, como a todos que se aproximavam dela, independente se fossem crianças, jovens ou adultos.
Minhas colegas de estudo preferiam realizar os trabalhos da escola/faculdade na minha casa, apesar de ser muito mais simples e humilde do que a delas, porque lá "sentiam paz".
Os animais sempre a procuravam (era incrível); os nossos cãezitos, quando estavam doentes ou sentiam dores, eram para ela que corriam.
Meu pai e eu, quando doentes, melhorávamos, quando ela pousava sua mão em nós.
Gostava muito do meu marido e, pela primeira vez na vida, não lutou contra a dor... Sentiu que ele iria fazer-me feliz e ... partiu ... Como ela mesma dizia, foi encontrar-se com o amor da sua vida, o meu pai.
Como sempre, ela estava certa.
A vida da minha mãe foi uma permanente lição: lição de como viver, como amar, como ser feliz, como fazer os outros felizes, como transformar cada momento em momentos especiais. Mas ela não me ensinou como fazer para que ela fosse eterna, apesar de ser eterna nas minhas lembranças.
Deixou uma grande saudade... Fazes-me muita falta, Mãe.

12 comentários:

Blog da Rutha disse...

Que texto lindo e emocionante sobre sua mãe. Ela devia ser uma uma pessoa muito equilibrada e cheia de amor. A minha mãe também é um exemplo para mim, aos 81 anos canta em um coral, dá aulas de dança para o pessoal do coral (o coral é de pessoas jovens, ela é a mais velha), pinta e vende porcelanas lindas, vive viajando e gosta de todo mundo, jamais a vi falar mal de alguém!
Fico feliz que nós duas pudemos ter mães que nos serviram de exemplo e nos fizeram pessoas boas.
Beijos
Laís

João Roque disse...

É sempre uma necessidade falarmos de quem nos deixa uma eterna saudade e sendo a Mãe, então é uma saudade ainda maior.
As tuas palavras, tão belas, dão a certeza da extrema educação que dela recebeste.
Eu ainda conservo a minha, com quase 90 anos e falei com ela há pouco, neste dia que é delas, como são todos...

Luís Coelho disse...

Mãe, palavra bonita, suave e encantadora.
Só sabemos dar valor à mãe quando ela nos deixa ou quando temos os nossos próprios filhos.

PEPI disse...

Infelizmente minha mãe não está mais entre nós
Pena!!
Lindo o seu texto, amiga
Tenha uma abençoada semana com muita Paz
Beijinhos de
Verena e Bichinhos

O Verônico disse...

Olá, Rosa!


Ah, eu também amo a minha mãe! É engraçado como nos faltam palavras quando vamos falar sobre elas, né?

Seu texto está maravilhoso e lhe recomendo que o mostre à sua mãe :) Ela adoraria lê-lo. Aposto que ficaria emocionada.

Ah... admiro muito o seu carinho que tens por animais. Também amo cães e sem minhas duas filhotinhas eu não viveria! rs

Abração e continue sempre assim!

Abraço do Verônico.

Margarida disse...

quem tem uma Mãe, tem tudo... quem já não tem, resta a saudade e o amor que permanece. bjs.

Kippy Marrie disse...

Amiga Rosa...
Que lindo o que voce escreveu de sua mamis...
Realmente ela estará sempre VIVA em suas lembranças e nos seu AMOR.
Estes nunca vão morrer e nunca nos tiram.
PARABÉNS!!!!

Ótima semana amiga querida.
Fique com o Papai do Céu.
Aus 1000 e Beijos 1000 das amigas....

KIPPY & LILLY

Kippy Marrie disse...

Kibon e Teja...
Legal que gostaram da idéia do "AMIGO DESTAQUE"...
Sejam bem vinda.
Como disse, toda sexta-feira pretendemos colocar um blog de amiguinho em destaque da semana.
Acho que vai ser bemmmm legal.

Quando formos colocar voces, aviso voces para saber das fotinhos ok??
Apareçam sempre.
Ótima semana amiga querida e fofinhos...
Aus 1000 e Beijos 1000 com carinho...

KIPPY & LILLY

Cidinha disse...

Olá, amiga. Lindo texto! Carregado de emoção e saudades. Mãe é unica! Parabéns um pouco atrasada pelo dia das mães. Tive problemas com conexção e pane no computador. Espero agora que tudo fique bém! Obrigada pela visita e carinho. Estarei passando por aqui! Deixo um grande abraço e bjos carinhosos no seu coração. Há! Bjinhos no tigre!!

Regina Rozenbaum disse...

Por aí é no 1º domingo de maio que se comemora, né? Aqui é nesse próximo. Como vc Rosa, a falta e a saudade que sinto é intensa! Dedicou palavras de AMOR a ela e nem tenho dúvidas que ela as ouviu e sentiu.
Beijuuss n.a.

Fê-blue bird disse...

Amiga estou emocionada!
Uma mãe é sempre eterna no nosso coração.
Lindo e emocionante tudo o que escreveste, de certeza és parecida com ela.


beijinhos comovidos.

quem és, que fazes aqui? disse...

Obrigada pelas palavras deixadas no rubraacácia.


Começo hoje um continuar de estar e, por isso, não tem linhas demarcantes este meu novo blogue.
Talvez olhe, muitos dias, para a velha acácia rubra do ontem e para as suas flores e sinta a saudade do céu azul, rendilhado de tons vermelhos, e do sussurro distante do mar, do meu...
Estou aqui, assim... em http://quem-es-que-fazes-aqui.blogspot.pt/ mais uma vez.

Beijo

Laura