Memorial

Companheiros de Pensamentos

sábado, 22 de outubro de 2011

22 de OUTUBRO de 1949

(imagem tirada da net)
“Até que a morte os separe” ou “que seja eterno enquanto dure” ou “estava escrito nas estrelas”…
Meu pai nasceu no Rio de Janeiro, em 1927.
Meus avós paternos tinham ido ao Brasil por causa das comemorações do Centenário da Independência, em 1922 (pois meu avô era parente do aviador Sacadura Cabral que, juntamente com Gago Coutinho, realizou a travessia aérea do Atlântico) e apaixonaram-se por esse país, ficando a viver nele. Quando meu pai tinha uns 13 anos, regressaram a Lisboa pois meu bisavô adoecera e meu avô não queria estar longe do seu pai.
Minha mãe nasceu em Casablanca, Marrocos, em 1928.
Meu avô materno tinha ido para esse país, devido a negócios. Ele e seu sócio tinham uma fábrica de conservas de sardinhas em lata. Quando minha mãe tinha uns 14 anos, regressaram a Lisboa, pois meu avô soube que seu sócio não estava a ser honesto e preferiu perder a sociedade mas manter seu “nome limpo”.
Meu pai começou a trabalhar aos 17 anos, deixando para trás o sonho de vir a ser engenheiro agrónomo, pois precisava ajudar em casa.
Minha mãe começou a trabalhar aos 20 anos, pois queria ter algum “dinheirinho” para si.
Coincidência, acaso ou destino? Mas os escritórios onde meus pais trabalhavam ficavam na mesma rua de Lisboa e meu pai começou a reparar “na cor do cabelo daquela jovem” do outro lado da rua.
A colega e amiga de minha mãe logo reparou nos olhares daquele rapaz e avisou-a, no sentido de que ela também retribui-se um simples olhar.
“Nem pensar! Imagina que vou acenar para esse magricela!”
Mas os olhares continuaram! E a coragem foi crescendo até meu pai, finalmente, falar com minha mãe. E o namoro começou, em casa de meus avós maternos, claro! Porém não foi só o namoro que começou, também foi o início dos contratempos, pois as minhas avós não concordavam com o namoro.
Minha avó paterna queria que meu pai casasse com uma jovem rica, filha de uma sua amiga. Por outro lado, minha avó materna, simplesmente, não queria que minha mãe casasse, pois era sua intenção que viesse a ser a dama de companhia (criada) da futura esposa do filho mais velho (meu tio).
Depois de uma série de aborrecimentos, contratempos, empecilhos, meu pai desistiu de ir namorar em casa de minha mãe. Comunicou-lhe que não iria aparecer mais. Disse-lhe que, no ano seguinte, no dia em que ela completasse 21 anos, telefonaria e perguntaria se queria casar com ele.
E assim foi! No dia 1 de setembro de 1949, meu pai telefona à minha mãe:
- “Parabéns! Feliz Aniversário! Queres casar comigo?”
No dia 22 de outubro, do mesmo ano, meus pais casam pelo Registo Civil, contra tudo, contra todos.
Foi neste casamento que eu nasci, cresci, vivi e aprendi o que é um relacionamento feito de respeito, cumplicidade, companheirismo, compreensão, união, ternura, cuidado, afeto, amizade, AMOR.
Eles conversavam com o olhar. Parece incrível mas até havia transmissão de pensamento entre eles.
Meu pai sempre se confundia quando lhe perguntavam a minha data de nascimento, mas nunca esqueceu a data do casamento.
A única vez que vi meu pai chorar, como uma criança, foi quando a minha mãe teve que ser internada para ser retirado líquido do seu pulmão. Lembro perfeitamente do desespero de meu pai e dele dizer “A mãe não vai morrer, pois não? Ana Paula, eu não sei viver sem ela!”
Comemoram 50 anos de casados.
Meu pai partiu primeiro. Minha mãe, quando viu que eu tinha encontrado alguém que seria para mim, como meu pai foi para ela, também partiu.
Ficaram unidos até que a morte os separou?
O Amor deles foi eterno enquanto durou?
Estava escrito nas estrelas que um menino nascido no Continente Americano e uma menina nascida no Continente Africano iriam conhecer-se e casar no Continente Europeu?
Não sei qual a resposta certa.
Sei que tive o privilégio de ser filha de um casal que, apesar de todas as enormes dificuldades financeiras, apesar das contrariedades familiares, apesar dos obstáculos que a vida resolveu oferecer, sempre teve a preocupação de cuidar, proteger, defender, “mimar” o outro, sempre manteve a união, o amor e a alegria de viver a Vida, a cada dia.

25 comentários:

Fê-blue bird disse...

Minha amiga, acredita que foi com emoção que li esta linda história de amor entre os teus pais, que daria um belo filme romântico.
Um amor assim deve ser contado e comemorado. Tens a sorte de ter como referência pessoas tão extraordinárias.
Tenho a certeza que aonde eles estão, terão muito orgulho na filha linda que geraram juntos.

beijinhos

Dora Regina disse...

Obrigada pela visita e pelo belo poema!
Grande abraço!!

Maria disse...

Querida amiga fiquei emocionada ao ler a história de vida dos seus pais. Um amor maravilhoso que venceu todas as barreiras, um amor até à eternidade. Penso que todos nós no nosso íntimo gostariamos de encontrar assim, a alma gêmea. Todo esse ambiente de amor e partilha formou a pessoa linda que hoje a Rosa é, e como disse a Fê-blue bird, de certeza que os seus pais tinham um imenso orgulho em si.
Tenha um domingo maravilhoso e uma boa semana.
beijinhos
Maria

Regina Rozenbaum disse...

Não tenho a resposta. Sei que a história de amor dos meus pais foi bem parecida. Ele um imigrante polonês e ela uma minina brasileira que se apaixonaram à 1ªvista. Até que ele partiu e ela ficou em seus anos de viuvez vivendo desse amor. Hoje (dois anos após a morte dela)espero que estejam juntos!
Beijuuss, amada, n.a.
P.S: adorei sua visita...tava com sôdades!

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom domingo minha querida amiga!
Como gosto e me indentifico com essas histórias que fazem nosso viver acontecer...Nos elevam como ser humano mais humanizado quando podemos relatar nossa vivência familiar...História linda e dgna de ser contada e escrita tbm...aplausos...
bjssssssssssssssssss

Pepi disse...

Querida amiga,
Adorei ler a sua história e me emocionei. Linda!!
Tenha uma ótima e abençoada semana
Com carinho de
Verena e Bichinhos

acácia rubra disse...

Como me emocionei ao ler este texto. Mais do que emoção, chorei.

Como a Fê escreveu, uma linda história de amor-família.

A nossa identidade está nas referências que guardamos dos nossos Pais.

Um beijo

RSM disse...

Uma bela história de amor que, tenho a certeza, continua num outro sítio que nós, comuns mortais, não alcançamos com a vista.
Também eu, querida Rosa, não sei o que seria de mim sem a minha "cara-metade", amo-a infinitamente e não sei viver sem ela.
Parabéns pelos magníficos Pais que teve e que fizeram de si o ser humano maravilhoso que transparece ser.
Beijinho e boa semana para si!

Blog da Rutha disse...

Essa história de amor dos seus pais é maravilhosa e um grande exemplo de que o mais importante na vida é o amor que compartilhamos. Não existe dinheiro que nos faça felizes ! Meus pais se casaram em 1950 e minha mãe está firme e forte aos 80 anos, inclusive trabalhando ! Ela faz lindas pinturas em porcelana e dá aulas de dança para seu grupo de coral, eles se apresentam em asilos e creches e fazem o maior sucesso. Eu fico muito feliz por ela porque o meu pai nunca foi muito bonzinho com ela, ele fez de tudo para ajudar os filhos e netos mas era chatinho com minha mãe e no final da vida ela teve muito trabalho para cuidar dele.
A história dos seus pais daria um lindo filme de amor mesmo ! Espero que você e seu marido sigam esse exemplo e sejam muito felizes !
Beijos
Laís

Jeferson Cardoso disse...

Rosa, parabéns pela linda história do amor de seus pais! Quando duas pessoas querem viver o amor, não há nada; continente, situação adversa, nada; nada que os impeça de viver eternamente o amor. Obrigado pelo carinho em meu blog! Se meus personagens são vivos é por que vocês, leitores, os alimenta com carinho. Abraço e uma semana de vitória.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Que linda e encantadora essa historia de seus pais.Me emocione muito lendo. lembranças de meus pais. Obrigada pela leitura. Beijos e ótima semana.

Kippy Marrie disse...

Olá amiga querida... Qto tempo.
Como diz minha mami...
É o corre-corre. Rsrs.
Mas temos que achar tempo para dar um oizinho pros amiguinhos, com ou sem corre corre, não é mesmo?
Por isso, estou aqui hoje para te agradecer a visita e te desejar uma ÓTIMA SEMANA. Cheia de amor, paz, luz e que o Papai do Céu proteja você e sua família sempre.
Desculpa se não venho sempre aqui, vou procurar aparecer mais.
Você tbm, sempre que der, apareça. AMO SUAS VISITAS!
Até mais.
Aus 1000 com amor da amiga doguinha ...

KIPPY

CLEMENTE GERMANO MULLER disse...

Olá minha querida amiga. Que maravilhosa história de AMOR VERDADEIRO. Com certeza estava escrito nas estrelas. Nascerem em continentes diferentes e se encontrarem num terceiro, só mesmo coisa do destino. Fiquei emocionado com esse conto de fada. São lembranças assim que preenchem nosso dia-a-dia e nos tornam mais fortes para enfrentar as dificuldades da vida. Um grande beijo. FIQUE COM DEUS.

Sônia Silvino disse...

Histórias maravilhosas e inesquecíveis da vida.
Beijos, amiga!

luis coelho disse...

Que ternura de história real.
Os teus pais marcaram-te com o seu relacionamento assim como os meus e à medida que lia me afloravam à memória as suas vidas.

Hoje poucos pais se intrometem no namoro dos filhos e muitos filhos vão na onda:
- ser der deu e se não der não deu...-

Viver um amor como os teus pais e os meus torna-se cada dia mais distante da realidade dos nossos dias.

TEREZINHA disse...

MINHA AMIGA ESCRITORA!!!!!!!

EU ACREDITAVA QUE JÁ CONHECIA A HISTÓRIA DE AMOR DOS TEUS PAIS.

MAS DEPOIS DE LER ESTE TEXTO PERCEBI QUE A VIDA DELES FOI TÃO MAIOR QUE CONSTRUIU EM TI TODA A CAPACIDADE DE RELATAR ATRAVÉS DAS PALAVRAS AQUILO QUE ELES VIVERAM E DEIXARAM COMO LEGADO A TI.

PARABÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉNS!!!!!!!!!!!!
AMEI A POESIA DA HISTÓRIA!!!!!!!
ELES REALMENTE FORAM UM CASAL ESPECIAL!!!!

BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Comovido, deixo um beijo sorridente :)

Maria disse...

Amiga Rosa passei para desejar um excelente fim de semana.
Beijinhos
Maria

O Profeta disse...

É com “Palavras” que pintarei sonhos
Navegarei mares, voarei sobre o azul do Mar
Aqui virei com elas pintadas de ternura
Aqui dexei um pouco do meu sonhar

Foi um gosto aqui passar


Terno beijo

O Profeta disse...

É com “Palavras” que pintarei sonhos
Navegarei mares, voarei sobre o azul do Mar
Aqui virei com elas pintadas de ternura
Aqui dexei um pouco do meu sonhar

Foi um gosto aqui passar


Terno beijo

Sandra Mitsue disse...

Oi Rosa...
Que linda história de amor dos seus pais...Emocionante...Adorei!
Ótima Semana!
Beijos!
San....

。♥ Smareis ♥。 disse...

Oi Querida, passando pra te desejar uma excelente semana cheia de coisa positivas. Beijos grande!

Sônia Silvino disse...

Vim deixar uma beijoca, amiga!

gaivota disse...

uma história de luta, de vida, de amor, de muito trabalho...
parabéns aos teus pais pela filha linda que têm, capaz de traduzir em palavras uma vida tão intensa!
onde quer que estejam continuam a iluminar a tua vida e a de todos os teus
beijinhos

. disse...

Que história linda, Ana Paula! Muito emocionante. Parabéns por ser fruto de uma família admirável! E que o amor vença sempre. :)

Um abraço, querida.