Memorial

Companheiros de Pensamentos

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Será que eu é que estou fora de contexto?


Algumas vezes tiro certos momentos para reflectir em determinadas atitudes dos seres humanos.

Sei que isso não vai mudar em nada tais atitudes mas continuo a tentar entendê-las.

Já tenho percebido que algumas pessoas exigem dos outros certas "respostas", quando elas próprias não fornecem essas "respostas".

Exigem atenção mas não dão atenção.

Exigem carinho mas não são carinhosas.

Exigem dedicação a tempo inteiro mas só se dedicam quando existe algum interesse.

Porquê são assim?

Quando olho para os meus cães (nossa, quanta diferença!), primeiro dão-me toda a atenção e depois esperam que eu lance os brinquedos deles.

Atiram-se sobre mim, lambendo-me as mãos e depois ficam à espera de uma simples festa.

Dedicam-se totalmente a mim e esperam (claro) que eu possa dedicar-lhes tudo o que merecem.

Mas nesta relação, não há cobranças; simplesmente, os seres vivos possuem um respeito mútuo.

Seria muito bom que as pessoas aprendessem com os animais irracionais...

Só tenho receio que as atitudes dessas pessoas, possam "brutalizar-me".

Será? Não sei.

Espero bem que não mas, por outro lado, cada vez mais vou descrendo da raça humana.

No entanto, há algo positivo nisso tudo.

De repente, conhecemos pessoas que parecem possuir os mesmos ressentimentos e sentimentos. E quando cruzamos com esses HUMANOS, temos a sensação que não estamos fora do contexto.

Quando começamos a conviver com esses HUMANOS voltamos a acreditar na raça humana e que a AMIZADE é algo precioso e que "NOS FAZ UM BEM DANADO".

E cada momento que partilhamos faz-nos acreditar que é possível existir respeito mútuo, carinho mútuo, atenção mútua, dedicação mútua; e que tudo isto torna estes momentos em algo muito especial.

Que bom que ainda existem Pessoas HUMANAS e é óptimo quando cruzamos com elas...

8 comentários:

Anónimo disse...

Por agora fica suspensa a enorme vontade que tenho de te dar um abraço...não consigo dizer mais nada...por enquanto...
...mas volto, áááá se volto!!!
Abraço daqui até aí.

Anónimo disse...

”Gosto de gente com a cabeça no lugar,
De conteúdo interno,
Idealismo nos olhos e dois pés no chão da realidade.
Gosto de gente que ri,
Chora, se emociona com uma simples carta,
Um telefonema, uma canção suave, um bom filme,
Um bom livro, um gesto de carinho, um abraço.
Gente que ama e curte saudades, gosta de amigos,
Cultiva flores, ama animais.
Admira paisagens, poeira;
E escuta.
Gente que tem tempo para sorrir bondade,
semear perdão, repartir ternuras,
Compartilhar vivências e dar espaço para as emoções dentro de si,
Emoções que flúem naturalmente de dentro de seu ser!
Gente que gosta de fazer as coisas que gosta,
Sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis,
Por mais desgastantes que sejam.
Gente que colhe, orienta, se entende, aconselha,
Busca a verdade e quer sempre aprender,
Mesmo que seja de uma criança, de um pobre, de um analfabeto.
Gente de coração desarmado, sem ódio e preconceitos baratos.
Com muito AMOR dentro de si.
Gente que erra e reconhece, cai e se levanta,
Apanha e assimila os golpes,
Tirando lições dos erros e fazendo redentora suas lágrimas e sofrimentos.
Gosto muito de gente assim..... “

Desconheço o Autor mas faço Dele(a), minhas palavras.

Gosto de ti, não apenas pelo que és, mas também pelo que sou quando contigo estou.
…Abraçinho muito apertado.

Rosa Carioca disse...

Nem sei o que responder...
Obrigada. Grande abraço.

Rita Caissotti disse...

Não ,não estarás fpora do contexto!Senão quantos de nós estaríamos???
Cada vez se exige e cobra mais ,mas na hora de dar também...nada.
Falha-nos os nossos amigos de quatro patas que também em silêncio ensinam tanto em como lidar com humanos!!
Respeito e partilha acima de tudo é o segredo de qualquer relacionamento.

beijo

Rita Caissotti disse...

ups...desculpa os "F" hoje estão a entrar onde não deviam...era "Valha-nos"....

Rosa Carioca disse...

Felizes os que vivem esse segredo.
Beijinhos.

nunoanjospereira disse...

"(...) porque deles será o Reino dos Céus." Simples, sem mais nada. Dar apenas pelo prazer de dar. Sorri apenas pelo prazer de sorrir. "Tudo o que eu der ao mundo ele me devolverá." Se eu der "bons-dias", não apenas ao Sol (mesmo nos dais de chuva porque ele está lá), também às pessoas e umas festinhas aos animais... de certeza que o mundo cumprirá a sua função de me devolver o que eu lhe der.

Rosa Carioca disse...

É VERDADE, NUNO.