Memorial

Companheiros de Pensamentos

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Professor está sempre errado

(imagem tirada da net)
O material escolar mais barato que existe na praça é o professor!
É jovem, não tem experiência;
É velho, está superado!
Não tem automóvel, é um pobre coitado;
Tem automóvel, chora de "barriga cheia”!
Fala em voz alta, vive gritando;
Fala em tom normal, ninguém escuta!
Não falta ao colégio, é um “caxias”;
Precisa faltar, é um “turista”!
Conversa com os outros professores, está 'malhando' os alunos;
Não conversa, é um desligado!
Dá muita matéria, não tem dó do aluno;
Dá pouca matéria, não prepara os alunos!
Brinca com a turma, é metido a engraçado;
Não brinca com a turma, é um chato!
Chama a atenção, é um grosso;
Não chama a atenção, não sabe se impor!
A prova é longa, não dá tempo;
A prova é curta, tira as chances do aluno!
Escreve muito, não explica;
Explica muito, o caderno não tem nada!
Fala corretamente, ninguém entende;
Fala a “língua” do aluno, não tem vocabulário!
Exige, é rude;
Elogia, é debochado!
O aluno é reprovado, é perseguição;
O aluno é aprovado, deu “mole”!
É, o professor está sempre errado...
Mas se você conseguiu ler até aqui, agradeça a ele!!!

(Jô Soares)

Tem dias que sinto exatamente isto...
Porém, também há dias que compensam os outros...

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Dia dos Namorados

(Pastelaria "7 Momentos")
Já tinha publicado este post no blog. Há uns dias mandei-o para um jornal local que o publicou.
Hoje, o jornal foi entregue pelo correio e o meu marido foi o primeiro a lê-lo.
Foi uma bonita surpresa.
Quando saí do trabalho, meu marido foi buscar-me e fomos tomar um café que veio acompanhado com uma doce surpresa: o cupcake da foto.
Em tempos de crise, com o marido no desemprego, com cortes no salário, não podemos fazer grandes comemorações; porém, o mais importante são os pequenos gestos do dia a dia.
Não sou poeta para falar sobre o Amor.
Só sei que tenho ao meu lado, alguém que é muito especial.
Alguém que ajudou-me a ultrapassar uma fase muito difícil e triste.
Alguém que sabe, exatamente, o que sinto.
Alguém que adivinha os meus desejos e vontades.
Alguém que ouve a minha revolta, mesmo que não a entenda.
Alguém que me aceita como sou.
Alguém que "ensina-me" a ser mais paciente e tolerante.
Alguém que não sabe escrever lindas cartas de amor mas sabe colher as mais lindas flores do campo, para mim (as minhas preferidas).
Alguém que começou a ver os animais com outros olhos, com o meu olhar.
Alguém que pode esquecer a data do nosso casamento (já esqueceu uma vez) mas não escolhe nenhuma data para tratar-me com carinho, para dedicar-me atenção, para fazer-me feliz.
Alguém que tratou a minha mãe como se fosse o próprio filho (nunca vou esquecer isso).
Alguém com quem gosto de passar todos os dias (e noites).
É com esse alguém que estou a viver um eterno Namoro, um bom e feliz Casamento, um forte e grande Amor.
Feliz Dia dos Namorados, Carlos.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Qual o problema?


Uma mulher tem um filho. Quando esse filho completa um ano, o seu pai morre.
A mulher sente-se muito triste e, para a ajudar, a sua mãe (também recentemente viúva) vem viver com ela. Assim, essas duas mulheres cuidam, educam, acompanham o crescimento desse menino, passando pela sua infância, adolescência…
Esse menino transforma-se num homem que vem a casar e a ter seus próprios filhos.
O menino que cresceu num agregado familiar sem a referência masculina tornou-se num bom profissional, bom marido, bom pai, enfim, num ser humano completo e equilibrado.

(imagem tirada da net)
Duas mulheres conhecem-se e apaixonam-se. Resolvem viver juntas e, passado um tempo, adotam um menino com um ano de idade. Assim, essas duas mulheres cuidam, educam, acompanham o crescimento desse menino, passando pela sua infância, adolescência…
Esse menino transforma-se num homem que vem a casar e a ter seus próprios filhos.
O menino que cresceu num agregado familiar sem a referência masculina tornou-se num bom profissional, bom marido, bom pai, enfim, num ser humano completo e equilibrado.

 ------------------------------------------------------

Um homem e uma mulher casam-se e, passado algum tempo, têm uma bebê.
Infelizmente, quando a menina completa um ano, a sua mãe vem a falecer e, para além desta perda, o homem fica desempregado.
O pai deste homem (também viúvo) convida-o a ir viver com ele, para ajudá-lo. Assim, estes dois homens cuidam, educam, acompanham o crescimento dessa menina, passando pela sua infância, adolescência…
Essa menina transforma-se numa mulher que vem a casar e a ter seus próprios filhos.
A menina que cresceu num agregado familiar sem a referência feminina tornou-se numa boa profissional, boa esposa, boa mãe, enfim, num ser humano completo e equilibrado.

(imagem tirada da net)
Dois homens conhecem-se e apaixonam-se. Resolvem viver juntos e, passado um tempo, adotam uma menina com um ano de idade. Assim, estes dois homens cuidam, educam, acompanham o crescimento dessa menina, passando pela sua infância, adolescência…
Essa menina transforma-se numa mulher que vem a casar e a ter seus próprios filhos.
A menina que cresceu num agregado familiar sem a referência feminina tornou-se numa boa profissional, boa esposa, boa mãe, enfim, num ser humano completo e equilibrado.
 -------------------------------------------------------

Qual o problema da adoção por casais homossexuais?

 O problema é o …PRECONCEITO.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Cozido à Portuguesa

Almoço de domingo!
Alguém é servido?
 
Com este friozinho, até que cai muito bem uma comida desta nossa maravilhosa gastronomia.