Memorial

Companheiros de Pensamentos

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Guerreiro Menino



"E sem o seu trabalho, o homem não tem honra;
e sem a sua honra, se morre, se mata.
Não dá para ser feliz."
Os números do desemprego aumentam a cada dia.
A dificuldade de conseguir um trabalho, mantém-se.
Não me refiro a conseguir o primeiro trabalho. Esse assunto dava para escrever um outro texto...
Refiro-me a já termos iniciado a nossa vida profissional, a já termos encargos, a já termos uma família para cuidar e, de repente, sem termos feito nada de errado, perdermos o nosso emprego.
(É claro que existem pessoas que preferem encostar-se aos subsídios e levar a vida "na flauta".)
Num passado distante, fiquei seis meses desempregada. Foi uma etapa da minha vida, que nunca esquecerei.
O meu bom humor desapareceu. Nesse período, tornei-me numa pessoa amarga, revoltada.
Confesso que só não fiz uma grande "asneira" porque meus pais deram-me um grande apoio emocional. Apesar de não terem recursos financeiros, foram as palavras de esperança, de encorajamento que contribuiram para acordar, a cada manhã, com a cabeça erguida e a seguir em frente. Nessa altura, até "fiquei de mal" com Deus. (mas, depois, fiz as pazes)
Não foi nada fácil ouvir tantos "nãos"...
Agora, chegou a vez de meu maridão começar a ouvir muitos "Não estamos a precisar de ninguém!"
Lembro-me bem como me senti e estou a fazer, exatamente, o que meus pais fizeram. Encorajando-o todos os dias, fazendo-o sentir o quanto tem valor, procurando animá-lo ao máximo.
Não quero que ele entre num desânimo, pois não ajuda nada, apesar de saber que não é nada fácil, estar a viver esta situação. Principalmente, quando não se é vagabundo, nem acomodado.
O país não está numa situação nada boa. É claro que as empresas retraem-se. Mas quero manter a esperança que algo surgirá. Pelo menos, ele não tem parado de "correr atrás".
Sempre que me deparo com as notícias sobre o desemprego, sobre "contenção de gastos"; tremo toda.
Ninguém está seguro. Já não existe estabilidade. Até a famosa estabilidade da função pública virou algo do passado.
Como continuo "de bem" com Deus, acredito que Ele irá dar-nos forças para continuar a seguir em frente e a conseguir enxergar quais as "janelas" que estão a ser abertas... pois sem o seu trabalho, o homem não tem honra; e sem a sua honra, se morre...

14 comentários:

Maria disse...

Querida amiga sei bem do que está a falar pois á cerca de 6 anos o meu marido também foi despedido e já trabalhava lá á 14 anos. Cada vez é pior e não há seguranças em lado nenhum. Mas tudo se resolveu, e ele está a trabalhar, o mais importante é nunca perdermos a fé no dia de amanhã e apoiarmo-nos sempre mutuamente.
Que Tudo vos corra bem é o meu sincero desejo.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria

Jefhcardoso disse...

Rosa, legal você relatar a dificuldade pela qual passou e reconhecer a força que seus pais lhe deram. Lindo você praticar com o seu marido, companheiro, (que coisa bonita!), o aprendizado que recebeu dos pais. Rosa, estarei aqui em meu cantinho torcendo para que seu marido encontre colocação, e mais que isso, orarei para tal. Conte com minha oração e sincera torcida. Quero muito bem vocês, mesmo sem lhes conhecer de fato. Paro o comentário e oro agora, amiga. Abraço!

Vitória!

Com carinho: Jefhcardoso

Pérola disse...

Oh amada vai dar tudo certo vc vai ver.
Eu sei que para quem esta de fora é fácil falar mas temos que ser positivos em qualquer circunstâncias.
Espero que corra tudo bem e que essa angústia acabe logo.
Um beijo minha flor.

Marcia disse...

Minha querida fique firme. Tenha fé em Deus, claro, temos que fazer a nossa parte, nao se acormodar. Este apoio que vc está dando a ele, é essencial e muito bonito da sua parte. Peca com fé aos bons mentores, ao mentor dele que o oriente e a Jesus. Envio as minhas vibracoes e os meus sinceros votos que esta situacao seja breve.
Abracos com muito carinho e bom fim de semana!

Kimbanda disse...

Olá Rosa.

Sei do que "falas", teu marido e muitas centenas de milhar de pessoas que se encontram na mesma situação.
Não é fácil ouvir muitos "nãos", mas mais dificil ainda, é nem sequer ter retorno a uma qualquer candidatura de emprego.
Depois é constatar que a partir dos quarenta anos, é-se velho demais para trabalhar, é só ler os anúncios de oferta de emprego. Toda uma experiência de vida não conta para nada.
A situação dos empregadores também não é boa, mas tendem a explorar sangue na guelra dos mais jovens.
Como na pele sinto, imagino o que estão passando.
Levo daqui o sentimento, que unidos e a apoiarem-se da forma que descreves, a situação será ultrapassada em breve.
Torço por vós e deixo um sincero e amigo kandando.

Fernanda Leite disse...

oi rosa tenta seguir novamente, deve ter sido falha no istema... estou seguindo o seu, por ínicio já gostei bastnate, depois venho ler mais...
espero q dessa vez consiga seguir bju...

Luís Coelho disse...

Admiro a coragem que aqui trouxe e ainda mais a força positiva que consegue transmitir ao seu marido.

Os tempos estão difíceis e nunca estamos preparados para ficar de braços cruzados.

O trabalho ajuda na realização pessoal de cada um de nós e depois aquele vencimento ao fim do mês que é o pão de cada dia.

Desejo que continuem com essa força interior e que em breve consigam emprego.

acácia rubra disse...

Há palavras que nos abrem portas; outras fecham-nas.

Infelizmente todos estamos sujeitos a isso. Já não é o conhecimento, o saber fazer, os anos de dedicação, o mérito que conta neste país.

Hoje é o marido, amanhã poderei ser eu e todos "rodados de mais" para termos um emprego digno.

Ironicamente já passámos o prazo de validade que nos permita continuar a trabalhar.Contudo, vão aumentando o limite da reforma.

Creio que tudo se irá resolver por aí. Deixo o meu apoio, que não sei como materializar. Deixo o que tenho e posso oferecer - palavras.

Beijo solidário.

Everson Russo disse...

Uma triste e terrivel realidade que nos cerca...grande beijo de boa semana pra ti querida.

Pérola disse...

Como vc esta hoje?
Dificil ter equilíbrio quando as coisas não caminham bem,mas...é preciso acreditar.
Vim te deixar um beijo minha flor.

Fê-blue bird disse...

Minha amiga:
Quem não tem hoje um familiar ou um amigo nesta situação.
Ter muita coragem e esperança, além do apoio familiar é a chave para aguentar sem cair esta situação.
Portanto que o amor e a coragem nunca vos falte.

beijinhos

orvalho do ceu disse...

Olá, querida Rosa
Deus nos é fiel sempre... mais cedo ou mais tarde vcs verão que tudo concorre para o nosso bem... com vcs não será diferente!!!
Tenho uma proposta no dia 23 pra VC... entre na roda com a gente!!!
E, lembre-se: TUDO VAI DAR CERTO!!!
Bjs de paz

Carlos Albuquerque disse...

Há anos passei por uma situação de desemprego. Sei bem o que isso é e o que dói, tanto em nós, como nos que nos rodeiam.
Sei, também, o importante que foi o apoio solidário da minha alga gémea. Ali encontrei a força de que precisei para me ajudar a encontrar uma janela aberta.
Não tenho nada mais para lhe dar do que palavras, como diz a nossa amiga Acácia. É o que faço, gritando o meu apoio solidário. À distância envio-lhe um abraço e outro ao maridão que há-de encontrar, certamente que sim, a sua janela aberta.
Que tudo vos corra pelo melhor!

Terezinha disse...

ANA

TODAS AS VEZES QUE UM PAÍS PASSA POR UMA CRISE É INEVITÁVEL QUE MUITOS SOFRAM MAIS, POR CONTA DO DESEMPREGO.

O PIOR É QUANDO A PESSOA SEMPRE FOI CORRETA, NÃO FOI PREGUIÇOSA E ACABA PAGANDO UM PREÇO ALTO POR ALGO QUE NÃO FEZ.

MAS NESTA HORA SÓ CRER EM DEUS, NO CREDO QUE FOR, É QUE DÁ FORÇA PARA CONTINUAR E ACREDITAR QUE DEPOIS DE UMA CHUVÃO SEMPRE SE ABRE UM BOTÃO DE ROSA.

ACREDITA AMIGA!!!!!! TODOS ESTAMOS REZANDO PARA QUE ELE VOLTE A TRABALHAR EM BREVE!!!!!!!

SABEMOS O QUANTO ISTO É IMPORTANTE PARA ELE E PARA TI TAMBÉM!!!!!!

BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!!!