Memorial

Companheiros de Pensamentos

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Para lembrar mais tarde

Hoje, a minha turma de 3º ano recebeu a visita da Guarda Nacional Republicana para uma palestra sobre Bullying.
O guarda captou a atenção da turma e conseguiu que os alunos participassem com perguntas e opiniões.
A certa altura, o guarda perguntou à turma se, alguma vez, tinham sofrido alguma pressão, alguma ameaça de algum colega.
Um de meus alunos, prontamente, levantou a mão para participar:
- Quando eu estava no 1º ano, houve um colega mais velho que queria que trouxesse dinheiro para dar-lhe.
Ao que o guarda questionou:
- E tu? O que fizeste? Contaste aos teus pais?
E o meu menino, com a cabeça bem erguida, respondeu:
- Não. Contei à minha professora. Ela falou com o meu colega e ele nunca mais me chateou.

(O que mais me impressionou é que já não me lembrava desta situação. Mas o meu aluno não esqueceu...)

13 comentários:

Uma PROFESSORA apaixonada.... disse...

Eles não esquecem, é impressionante...
Por isso que temos que pensar e repensar sempre a nossa prática, as nossas atitudes. Somos exemplos...
Lindo isso!
Beijos

Luís Coelho disse...

Aqui está uma resposta e uma saída para esta situação.
Os meninos tem muita necessidade de serem educados em casa e na escola.

Quando a educação se faz pelo medo e não pela responsabilidade as crianças deixam de falar dos seus medos e outros querem experimentar o medo que fazem aos colegas com estas situações.

É importante que os professores estejam atentos a cada um dos seus alunos e saibam ler as suas reacções para os poderem ajudar.

Uma história sempre oportuna e cada dia mais actual. Muitos pais acham graça e consideram os seus filhos uns heróis quando são eles a pisar os outros.

Blog da Rutha disse...

Sempre que leio sobre bullying me lembro de uma amiga da minha filha que sempre dava nomes desagradáveis para outras meninas e implicava com todas, inclusive teve criança que saiu da escola por causa dela. Ela era um doce na minha casa, era difícil entender por que ela fazia isso, mas um dia ela se suicidou ! Tinha 12 anos ! E só depois disso fiquei sabendo que tinha depressão.
Já pensei em escrever sobre ela no meu blog, mas tenho receio. Tenho fotos dela junto com minha filha e o Barum brincando num lago, sempre vejo essa foto e fico triste.
Felizmente o caso do seu aluno foi fácil de resolver, mas se ele guardou na memória é porque foi importante para ele. Parabéns por ter contornado essa situação.
Beijos
Laís

Regina Rozenbaum disse...

Ah Ana, a gente nunca esquece dos mestres que amorosamente fazem sem sabê-lo... A vocês, educadores, trabalhadores - ultimamente - tão pouco reconhecidos (explorados) a minha reverência e eterna gratidão!
Beijuuss n.c.

Fê-blue bird disse...

Com esta resposta de certeza que a amiga ganhou o seu dia!

beijinhos

Maria João disse...

Ana Paula

Um professor é um marco importantíssimo na vida de qualquer criança. Todos nós temos lembranças de alguns deles na nossa vida. É por isso que quem tem essa profissão, como tu, jamais poderá desistir de ser o que os mais pequenos dele esperam, mesmo não sabendo isso.

Um enorme beijinho

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

As crianças não esquecem. O problema é quando chegam à idade adulta...

Sofá Amarelo disse...

Perfeito esse episódio da criança! Conheço outro caso parecido mas que não acabou tão bem: um grupo de miúdos mais velhos (talvez pelos 14, 15 anos) andou muito tempo ameaçando e exigindo dinheiro a outro miúdo um pouco mais novo que eles.

O caso prolongou-se mais de um ano lectivo, acabou por envolver outros alunos e pensa-se que terminou com a intervenção da polícia e dos pais da vítima! Se é que terminou mesmo!!!

Pérola disse...

Ñ esquece ñ amada.
Eu amo a minha profissão por essa razão eu prossigo.
Este ano peguei uma creche,uma experiência interessante,nunca trabalhei com bebezinhos rs.
Tenho certeza que vou amar.
Beijossssssssss.

gaivota disse...

coisas marcantes, é claro, as crianças detêm preciosidades que até nos passam despercebidas...
beijinhos

Maria disse...

As crianças não esquecem os acontecimentos que para elas foram marcantes.
Esse menino teve a coragem de contar o que se passava, infelizmente o problema do bullying é uma realidade em muitas escolas e nem todos os meninos falam aos pais ou professores que estão a ser alvo dessas acções.
O nosso papel de estarmos atentos a esta questão, é de extrema importância, quer os professores, os funcionários das escolas e os pais.
Todas as iniciativas para alertar os nossos jovens e indicar a forma de como tentar resolver esse problema são de louvar.
Querida amiga, tenha um maravilhoso fim de semana
Beijinhos
Maria

GRAÇA disse...

Preciso da vossa ajuda
Nós estamos a ter um Inverno excepcionalmente frio e muita chuva.e alguns Paises como o Brasil , Canada, Estados Unidos e nós com a crise do País. Os nossos amiguinhos estão aprecisar de nós!
Vai ao meu blog e diz-me se concordas?
Ronrons da
Kika

Terezinha disse...

ANA

É TÃO BOM SABER QUE OS NOSSOS ALUNOS NÃO ESQUECEM OS NOSSOS ENSINAMENTOS!!!!!!!!!!

ISTO NOS DÁ A IDEIA QUE TEMOS MUITA RESPONSABILIDADE E PARTICIPAÇÃO NA CRIAÇÃO DOS NOSSOS PEQUENOS ALUNOS!!!!!

BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!!