Memorial

Companheiros de Pensamentos

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Recordar é Viver (Parte 13 - Final)



Há um ano atrás vivemos o mais triste dia das nossas férias.
Levámos as nossas amigas ao aeroporto para que regressassem à sua casa, ao Brasil.
E como foi duro!
Tentámos manter-nos fortes pois afinal tínhamos vivido ótimos dias e sempre existe a esperança de um reencontro mas … quando elas partiram… não deu para segurar…
O nosso caminho de retorno a casa foi silencioso.
O carro estava vazio dos risos, da alegria.
A nossa casa ficou, de repente, oca.
O Tejo correu, a procurar, por todos os lados, as suas amigas.
O Kibon parou a fixar-me, como se quisesse dizer: “- Então? E elas?”
Não conseguimos continuar em casa. Parecia que aquele silêncio, de repente, martelava nossa cabeça.
Meu marido sugeriu: “- Vamos almoçar naquele restaurante brasileiro, “Caipirão”; assim, pelo menos, ouvimos aquele sotaque brasileiro.”
E assim foi.
Aos poucos, a conversa foi chegando e o assunto, claro, foi sobre todos os momentos que vivemos nesses 13 dias. (Coincidência: só agora tomei noção do número: 13 = o número que meu pai mais gostava.)
Costuma-se dizer que para você conhecer de verdade uma pessoa é preciso viajar com ela.
De certa forma, tem uma razão de ser.
Conviver 24 horas sobre 24 horas com alguém, dividindo o espaço, partilhando decisões, preferências, conversas, procurando caminhos, perdendo-se nas estradas, andando contra-mão, acordando ao som de um sino, esbarrando com animais peludos e malucos, e sempre mantendo a boa disposição, a alegria, a simpatia…
Só mesmo de acordo com Ernest Hemingway: “Nunca viaje com alguém que você não ama.
Nós amamos vocês. Foram dias inesquecíveis. Constantemente, lembramos esses momentos e vivemos planejando os próximos.





Nota: No post anterior e neste, coloquei aqueles fadistas que nos encantaram na noite em que a Alice comemorou seu aniversário, na Casa de Fados “A Parreirinha d’Alfama”.
No post anterior, não tive muito por onde escolher, apenas selecionei o que se via ou ouvia melhor.
Neste, a escolha foi intencional:
- Luis Tomar a cantar sobre Coimbra, tão especial para a Alice, Terezinha e para mim.
- E um pequeno documentário sobre a grande Senhora Argentina Santos, cantando “Vida Vivida”; pois “afinal o tempo fica, a gente é que vai passando”.

E do outro lado do oceano, no presente;

- A Li "diz":

Amiga,
Como toda história tem o momento da partida. A partida muito cedo foi coberta de despedidas, de histórias e promessas de um dia nos revermos. A despedida do Tejo e do Kibon, até hoje dói no meu coração. Eu sentia que o Kibon parecia entender que nós estávamos indo embora. A saudade de seus carinhos, das lambidas calorosas do Tejo foram a grande tristeza da separação dos bebés. O Noel também acordou cedo para nos despedirmos. Mas a tristezas foi nossa companheira. A passagem no guichê para entrar no reservado foi uma dor imensa. Nós estávamos divididas com a dor da partida e a saudade de quem estava a nos esperar. Ficamos um tempo sem conversar, perdidas em pensamentos. Quando entramos no avião e nos acomodamos, recomeçamos a conversar e fazer a retrospectiva das últimas alegrias vividas. Claro que as lágrimas nos abordaram teimosas. Tentei dormir para esquecer, mas nesses momentos os fados invadiam minhas lembranças e voltava a chorar. A alegria do Carlos, com suas brincadeiras alegres, da Ana nos provocando com suas tiradas alegres eram as recordações que vinham na lembrança. Aliás, chorar para mim é algo que não entendo porque acontece. Gostaria de ser forte e resistir às lágrimas, para não parecer uma criança. O número 13 é de Maria, Mãe de Jesus. Dia de 13 de maio é aniversário de Maria, por isso é um número positivo, carregado de amor e doação. Assim os 13 dias vividos com tanta alegria tem origem no poder do amor de Maria. Saímos de Portugal com a certeza que deixamos irmãos e não apenas amigos. Após um convívio tão próximo, nos dias de verão "de Sobreiro"...rs...sentimos que..."há mais coisas entre o céu e a terra do que imagina a nossa vã filosofia". Com certeza nossa afinidade parece não ser deste momento da vida e sim pelo parentesco espiritual que Deus nos permitiu descobrir tão de perto. Agore deixemos a tristeza de lado e vamos empenhar forças no próximo encontro aí em Portugal ou aqui no Brasil. A saudade serve para nos empurrar para novos momentos maravilhosos!!!! Aqui deixo os meus agradecimentos a vocês que nos receberam com tanto amor e dedicação, nos trataram tão afetivamente, a Ana pela alegria, inteligência, despreendimento, capacidade de doação e desapego por tudo que nos proporcionou, por ceder o cantinho de vossa casa para nos recepcionar. Os cantores fadistas e músicos, ao Sr Fortuna e a todos que nos atenderam, como garçons, recepcionista, orientadores, vendedores, os vizinhos de Sobreiro, pessoas que nos ajudaram a encontrar lugares, amigos que criamos, a todos enfim. SAUDADE!!!!!!!!!!  A palavra saudade é singular, mas representa um plural de sentimentos! Beijos!


- E a Te "diz":

ANA
O CARNAVAL BRASILEIRO POSSUI UMA MÚSICA MUUUUUUUUUUUUUUITO FAMOSA QUE FALA DA DESPEDIDA.
TODAS AS VEZES QUE NOS DESPEDIMOS DE ALGUÉM, ENCERRAMOS UM BAILE DE CARNAVAL OU UM BAILARICO QUALQUER, LEMBRAMOS COM CARINHO DA INESQUECÍVEL MÚSICA DE EMILINHA BORBA:"

"Quem parte leva
saudades de alguém, que fica chorando de dor.
Por isso não quero lembrar
quando partiu meu grande amor.
Ai, ai, ai, ai está chegando a hora.
O dia já vem raiando meu bem e eu tenho que ir embora.
Ai, ai, ai, ai está chegando a hora.
O dia já vem raiando meu bem e eu tenho que ir embora."
LEMBRA?????
MAS CANTAR A MÚSICA É SEMPRE FÁCIL, O DIFÍCIL MESMO, FOI A DESPEDIDA.
DE REPENTE, DEPOIS DE DIIIIIIIIIAS SORRINDO TIVE UM GRANDE ACESSO DE CHORO.
ESTAVA AMANHECENDO AQUELE DIA 29 DE AGOSTO E UMA GRANDE SEPARAÇÃO IA NOS ACONTECER. DEPOIS DE 11 ANOS ÍAMOS NOS SEPARAR NOVAMENTE!!
SABE ANA, ANTES DE EMBARCAR PARA PORTUGAL, COLOQUEI NA MINHA CABEÇA QUE PODERIA SER A ÚLTIMA VIAGEM. E FOI POR CAUSA DESTE PENSAMENTO QUE EU PROCUREI APROVEITAR CADA MOMENTO COMO SE FOSSE O ÚLTIMO. FIZ TUDO O QUE QUERIA, PENSANDO QUE SE NÃO VOLTASSE AO MENOS TINHA APROVEITADO MESMO. E APROVEITEI!!!!
ME DESPEDIR LOGO CEDO DO KIBON E DO TEJO CORTOU O MEU CORAÇÃO. O CHORO TEIMAVA EM NÃO PARAR. DEPOIS,A TRISTEZA EM ME DESPEDIR DE SOBREIRO, MAFRA... LISBOA.... TUDO PREENCHIDO COM MUUUUUUITA DOR NO CORAÇÃO!!!!!!
AÍ, CHEGAMOS AO GUICHÊ QUE SEPARA QUEM FICA E QUEM PARTE. LEMBRO-ME QUE OLHEI PARA TRÁS E GUARDEI NA MINHA MEMÓRIA A TUA ÚLTIMA IMAGEM, E PARTI.
NESTA HORA ATÉ O VOO LEVANTAR, VINHAMOS CONVERSANDO SOBRE TODA A FELICIDADE QUE VIVEMOS EM PORTUGAL E TODA A SAUDADE DE QUEM ESTAVA NOS ESPERANDO EM CASA.
DEPOIS DE MAIS DE 9 HORAS DE VOO. CHEGAMOS AO BRASIL!!!!!!
E AGORA????? SERÁ QUE UM DIA VAMOS VOLTAR À PORTUGAL???? SOMENTE DUAS VONTADES FARÃO ISSO ACONTECER, OU SEJA, A NOSSA FORÇA DE VONTADE E A VONTADE DE DEUS.
ENTRETANTO ME CABE HOJE AGRADECER MUUUUUUUUUUUUUUUITO A VOCÊS, POR TUDO QUE NOS FIZERAM. TODOS OS PASSEIOS, OS ALMOÇOS, OS JANTARES, AS CONVERSAS, AS MÚSICAS, OS NOVOS AMIGOS, AS HISTÓRIAS, AS LENDAS, OS MONUMENTOS HISTÓRICOS, ......
QUERO TAMBÉM AGRADECER AOS AMIGOS QUE SÃO TEUS E QUE DE REPENTE ACABARAM SENDO NOSSOS TAMBÉM: A QUERIDA MANUELA, O ESTIMADO SR FORTUNA, AS PESSOAS SIMPÁTICAS QUE CONVERSAMOS NA ALDEIA DE SOBREIRO E A TODOS OS TEUS AMIGOS DO BLOG QUE AMAVELMENTE JUNTARAM-SE A NÓS NAS RECORDAÇÕES DESTA MARAVILHOSA VIAGEM. MUUUUUUUUUUUUITO OBRIGADA, VOCÊS SÃO MUUUUUUUUUUUITO ESPECIAIS!!!!!
ANA, MUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUITO OBRIGADA POR TUDO.
QUE DEUS TE ABENÇOE E TE DEVOLVA EM DOBRO TODAS AS ALEGRIAS QUE CONSTRUÍSTES PARA MIM E PARA A LI. TENHO CERTEZA QUE SE VOCÊ NÃO TIVESSE ESTUDADO, ELABORADO, ORGANIZADO, REPROGRAMADO E EXECUTADO TODO O ROTEIRO DA VIAGEM, A NOSSA ALEGRIA NÃO TERIA SIDO TÃO BACANA COMO FOI.
PARABÉNS AMIGA. PODE SER QUE APOSENTADA DA FUNÇÃO DE PROFESSORA POSSAS CRIAR UMA EMPRESA DE TURISMO, DA MAIOR QUALIDADE!!!!! HI HI HI
SE A MINHA VONTADE TIVER PESO, JUNTO A VONTADE DE DEUS, EU VOLTO!!!!!!
BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!!!

domingo, 28 de agosto de 2011

Recordar é Viver (Parte 12)


Fadista Ana Maurício
Há um ano atrás, depois de uma noite fantástica, parece que acordámos com uma ressaca “emocional”. A companhia fantástica do Sr. António Fortuna, um convívio alegre, rico de conhecimentos e simpatia, aliado a vozes distintas, numa Casa de Fados na Alfama, foram ingredientes para acordarmos em êxtase.
Nem queríamos pensar que, em breve, chegaria o fim destes dias especiais…


Fadista Maria do Carmo

Meu marido carregou-nos para uma voltinha pela Ericeira. Um passeio breve, talvez mais para apanharmos aquela brisa do oceano e voltarmos a por os pés em terra.
O almoço foi mais uma sardinhada em casa, para alegria de todos, principalmente dos canitos que já tratavam as minhas amigas por “tu”.
A seguir, fomos encontrar-nos com uma colega minha e grande amiga, Manuela, que aproveitou para fazer-nos uma visita guiada pelo Jardim do Cerco, apresentando-nos as "suas" árvores especiais. Como é próprio da minha amiga Manuela, ela trouxe um miminho para as amigas Li e Te.
Para quem quiser "espreitar" esse belo jardim, basta clicar AQUI.
Mas ainda faltava uma visita que não podíamos deixar passar, pois quem vem à região saloia não pode deixar de visitar a Aldeia Típica do José Franco e comer o “pão com chouriço”.
E assim foi, com a Te a filmar todos os detalhes desta aldeia (aliás, ela fez milagre pois conseguiu “multiplicar” a capacidade de memória da sua máquina).

Depois de uma visita bem minuciosa, chegou a hora dos preparativos para a partida do dia seguinte:
- passar na Pastelaria “7 Momentos” para ir buscar uns docinhos portugueses para quem ficou, no Brasil, cheio de saudades das suas filhotas e manas;
- fazer as malas (para muita tristeza nossa);
- e não esticar a noite pois era necessário acordar bem cedinho para não perder o avião (não que eu me importasse que elas o perdessem…).

Fadista Tina Santos

E do outro lado do oceano, no presente;

- A Te diz:

ANA

É ANA, ESTÁVAMOS DE RESSACA CULTURAL!!!!! LEMBRO QUE ESTÁVAMOS SENTADOS NO CAFÉ EM ERICEIRA, TODOS EM SILÊNCIO, E PARECIA QUE O SOM DA NOITE ANTERIOR AINDA RESSOAVA EM NOSSOS OUVIDOS, E AS LEMBRANÇAS TEIMAVAM EM NÃO IR EMBORA E NOS DEIXAR TOMAR O CAFÉ DA MANHÃ. FOI DEMAIS!!!!!!!!!!!!
REALMENTE, O SENHOR ANTÓNIO FORTUNA É UMA COMPANHIA FANTÁSTICA!!!!! ELE SOUBE PERFEITAMENTE ESCOLHER UM LOCAL ONDE HAVIA A MUSICALIDADE DO FADO SEM OS MODISMOS ATUAIS. UM FADO PARA INUNDAR OS OLHOS E OUVIDOS!!!!!
MAS O DIA JÁ ERA OUTRO E PRECISÁVAMOS CONHECER ALGO EM SOBREIRO, AFINAL TÍNHAMOS SOMENTE MAIS ESTE DIA PARA VIVER MAIS ALEGRIAS EM PORTUGAL.
A ALDEIA DE JOSÉ FRANCO É MUUUUUUUUUUUUUITO LEGAL!!!!!!! É O RESGATE DAS TRADIÇÕES PORTUGUESAS QUE NÃO PODEM MORRER. É CONHECENDO O PASSADO QUE PODEMOS ENTENDER O PRESENTE E VISLUMBRAR O FUTURO.
E AQUELE PÃO DE CHOURIÇO QUENTINHO????
ANA, COMO SE COME BEM EM PORTUGAL, NÃO????
DEPOIS, A PARTE MAIS TRISTE. ARRUMAR AS MALAS!!!! PASSAR A ÚLTIMA TARDE E NOITE EM PORTUGAL E AGUARDAR O NOSSO VOO NO DIA SEGUINTE.
É, TÁ NO FINZINHO!!!!!!!

BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!!!


- A Li "diz":

Ana,
Neste dia meu corpo e alma estavam sob efeito das músicas e fados da noite anterior. Sentia as músicas vibrando em meus ouvidos como eco da noite anterior. Esses artistas maravilhosos , cada um com seus particulares, cada qual com tons e coloridos da alma, como pássaros que chilreiam nas tardes de verão.
Viverei anos e terei sempre vivo estas vozes em meu ser. Passear em Eiriceira foi um bálsamo ao coração. O café silencioso já demonstrava a tristeza que era verdadeira a partir de agora. Conhecer a amiga Manuela, amiga de Ana Paula, que nos estimulou através de imagens a visitar Portugal. Tivemos imenso prazer em encontrá-la. Grande apreciadora da natureza local, nos deu uma verdadeira aula de ciências e de sensibilidade às árvores do Jardim do Cerco. Amei conhecê-la, pois além de simpática, é amorosa e de grande generosidade. Desejo revê-la um dia. A sardinhada em casa junto à família, foi o almoço de despedida, um certo ar de tristeza pela partida, mas a certeza de um dia voltar. O carinho dos canitos, o tom delicioso e o afeto, foram a constante. Foi delicioso e aconchegante, familiar e saboroso. O passeio na Aldeia de José Franco foi mais um momento de pura saudade e valorizaçao da tradição saloia. Neste momento a saudade começa a apertar, a tristeza teima em se chegar. Ainda fomos a Pastelaria "7 Momentos" e enchemos as malas de doces deliciosos, tentamos levar para o Brasil a parte mais doce das terras dos meus antepassados. Apesar da saudade de quem ficou no Brasil, já sentíamos a saudade da partida de Portugal. Até Noel (o canarinho)ficou na minha saudade. Neste dia ele até demonstrou a saudade que ia nos deixar. Noel deu um trinado de boas-vindas e de saudade. Meu coração começou a ficar apertado. Mas em toda tristeza há momentos de satisfação como o pão de chouriço da aldeia de José Franco. DELIIIIICIIIIIOOOOOSOOOOOO!!!!!! Preciso repetir esse saboroso pão. Como também aqueles maravilhosos pastéis de Belém. Estes pastéis são de um paladar digno de anjos!! Nesta noite fizemos as malas para o retorno ao Brasil. O preparo das malas foi um capítulo a parte, tentar colocar numa mala todas as lembranças e saudade, junto com roupas e acessórios, deixou-a mais pesada que o esperado, mas nada fora do permitido. Aqui começa a saudade de um história rica e feliz. E o fim se aproxima... a lembrança de momentos tão lindos nos ajuda a superar as adversidades da vida cotidiana! Obrigada amiga por nos proporcionar tantos momentos lindos.  Beijos

sábado, 27 de agosto de 2011

Recordar é Viver (Parte 11)


Há um ano atrás (assim como hoje) era o aniversário da Alice e, logo de manhã, ela foi presenteada por duas grandes lambidas, bem caprichadas, dos “meigos” Tejo e Kibon.
Apesar do aniversário ser dela, todos estávamos bem ansiosos para que chegasse logo à noite, pois todos nós iríamos, pela primeira vez, a uma Casa de Fados.
Mas antes de anoitecer, ainda havia muito tempo para passear e lá fomos com destino à capital, mais precisamente, a Belém.
Antes de visitarmos alguns monumentos maravilhosos dessa zona tínhamos que apresentar, às minhas amigas, outra maravilha portuguesa: os pastéis de Belém (claro).
Houve sempre algo que encantou-me neste meu país. É que, apesar de ser tão pequeno, cada região dele está repleta de maravilhas; sejam arquitetónicas, históricas, naturais ou gastronómicas.
Após saborearmos alguns pastéis de Belém, de admirar o interior da Pastelaria com seus azulejos, decoração e cozinha, dirigimo-nos ao Mosteiro dos Jerónimos, "Património Cultural de toda a Humanidade". Para quem quiser “visitar” este belo mosteiro, basta clicar aqui.
Depois fomos apreciar o Padrão dos Descobrimentos.
Mas o que a Li estava “sedenta” de visitar era a Torre de Belém.

Clicar na foto para fazer
 uma visita virtual
E como foi prazeroso ver o seu semblante.
Os seus olhos pareciam autênticas máquinas de filmar, absorvendo todas aquelas imagens. Parecia que estava a receber um presente há muito esperado e, por ser muito esperado, ia desembrulhando aos poucos para que nada se perdesse, nada se quebrasse.
Se foi bom para ela, foi muito mais para nós ao ver aquela enorme satisfação.
E a satisfação foi tanta que subiu até ao último piso da Torre, com a Te e com o meu marido.
E eu? Não, muito obrigada. Subi aquela imensa escada em caracol quando era criança, mas essa experiência ficou bem gravada na minha mente. Para mim, bastou apenas essa vez. Eu fiquei tranquila, no terraço, à espera deles.
Com toda a animação, a hora do almoço já ia longe mas, a alma bondosa da D. Fátima, do Restaurante “Santo Antão”, em Lousa, providenciou conforto para os nossos estômagos.
Depois de bem confortados, resolvemos levar as minhas amigas ao Jardim da Paz – Buddha Eden Gaden, do Comendador José Berardo. Infelizmente houve um pequenino contratempo: tinha acabado de fechar (apesar de estarmos no Verão, encerrou às 18 horas…)
Regressámos a casa e começámos a nossa preparação para a grande noite.
Na hora combinada (bem… atrasámos uns minutinhos… afinal… três mulheres… ), encontrámo-nos com quem iria apresentar-nos a “Parreirinha d’Alfama”: Sr. António Fortuna, produtor artístico.
E assim fomos para a nossa primeira visita a uma Casa de Fados com uma companhia fantástica; repleta de sabedoria, de histórias vividas na primeira pessoa.
Na “Parreirinha d’Alfama”, depois de um belo jantar, regado a um bom vinho, ouvimos vozes lindas: Maria do Carmo, Ana Maurício, Tina Santos, Luiz Tomar e Argentina Santos, a proprietária da Casa.
Por fim, estes Fadistas uniram-se para cantar os “Parabéns a Você” à minha amiga Alice.
Quanta emoção! Que noite maravilhosa!

E do outro lado do oceano, no presente;

- A Te "diz":

ANA
É ESTE DIA FICOU INESQUECÍVEL NAS NOSSAS MEMÓRIAS!!!!!!!!TODOS OS DIAS FORAM MARAVILHOSOS, MAS ESTE FICARÁ GUARDADO EM SUAS MINÚCIAS EM NOSSAS LEMBRANÇAS.
ERA O ANIVERSÁRIO DA LI E LOGO CEDO OS PARABÉNS DE TODOS NÓS, DOS BEBÊS E AS FLORES DERAM UM AR DE QUE O DIA SERIA MEEEEEEEEEEEESMO ESPECIAL.
DEPOIS LISBOA!!!!!!!!!!!!! MOSTEIRO DOS JERÔNIMOS, PADRÃO DOS DESCOBRIMENTOS, PASTÉIS DE BELÉM (O QUE É AQUILO????? QUE DELÍCIA)PRECISAMOS VOLTAR LÁ!!!!
AÍ CHEGOU O LUGAR QUE A LI DESEJAVA A MUUUUUUUUUUUUUUUITO CONHECER, A TORRE DE BELÉM. EU JÁ A TINHA VISTO, MAS A LI TINHA UM SORRISO QUE TEIMAVA EM NÃO SAIR DO SEU ROSTO. COMEÇAMOS A SUBIR AS ESCADAS E A CADA ANDAR CONHECÍAMOS UM POUCO MAIS. QUANDO CHEGAMOS NO PENÚLTIMO ANDAR, A LI DISSE: - "TÊ, ACHO QUE NÃO VOU SUBIR ATÉ O ÚLTIMO POIS ESTOU CANSADA." IMEDIATAMENTE LHE RESPONDI: - AH, VOCÊ VAI SUBIR SIM!!!!!!! VOCÊ NÃO SABE SE UM DIA VAI PODER VOLTAR AQUI PARA VER O ÚLTIMO ANDAR!!!! PODE DESCANSAR QUE VAMOS SUBIR SIMMMMMMMMMMMMMMMM!!!!!! E DITO E FEITO. SUBIMOS AO TOPO E REALMENTE FOI UMA DAS IMAGENS MAIS LINDAS DO RIO TEJO E DE UMA PARTE DE LISBOA!!!!!!! VALEU O ESFORÇO E AS FOTOGRAFIAS QUE TROUXEMOS PARA RECORDAR!!!!!
AGORA, O MELHOR ESTAVA RESERVADO PARA A NOITE!!!!!! PARREIRINHA DA ALFAMA. TODO TURÍSTA QUE TEM VONTADE DE CONHECER UMA CASA DE FADOS PRECISA CONHECER ESTE LUGAR!!!!!! CADA MÚSICA, CADA ARTISTA E SEUS TALENTOS. FOI DESLUMBRANTE.
ANA, TENHO QUE TE CONFESSAR UMA COISA. QUANDO ENTREI NA PARREIRINHA E JÁ NA PORTA ENCONTREI A SENHORA ARGENTINA SANTOS, DONA DO ESTABELECIMENTO, E DESCOBRI QUE ELA IA CANTAR, CONFESSO QUE ACHEI QUE AQUELA FRÁGIL SENHORA NÃO PUDESSE FAZER UMA SIGNIFICATIVA APRESENTAÇÃO, DIANTE DA SUA IDADE E DA SUA IMAGEM TÃO DELICADA.
QUANDO ESTA SENHORA COLOCOU O XALE E DEU OS PRIMEIROS ACORDES, UI !!! CONFESSO QUE FIQUEI ADMIRADA COM A SUA VOZ, AFINAÇÃO E ENTONAÇÃO. ELA ME ENCHEU OS OLHOS COM A SUA MÚSICA TÃO ENCANTADORA!!!!! APRENDI QUE NÃO DEVO JULGAR PELA APARÊNCIA. SUA FRAGILIDADE APARENTE NÃO ESTAVA PRESENTE NO SEU TOM DE VOZ E NA SUA MAGESTOSA MANEIRA DE SE APRESENTAR EM PÚBLICO!!!!! ELA FOI DEZ, ASSIM COMO AS OUTRAS VOZES.
QUANDO A NOITE HAVIA ACABADO, LEMBRO QUE VOLTAMOS PARA CASA E AINDA FICAMOS CONVERSANDO HORAS, A RESPEITO DO QUE OS NOSSOS OLHOS HAVIAM VISTO E NOSSOS OUVIDOS HAVIAM OUVIDO. PURA OBRA DE ARTE MUSICAL!!!!!!!
É TÁ ACABANDO!!!!!!
BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!!!

- A Li "diz":

Querida amiga,
Creio que nunca vivi um aniversário tão lindo e inesquecível como este. Ana, você foi a mentora e criadora de todos os momentos marcantes e inesquecíveis, graças a tua criatividade, nos proporcionou.
Acordar em Sobreiro com tantas emoções,como lambidinhas do Tejo e do Kibon, das flores amarelas lindas, da Ana e do Carlos, já prenunciava o dia maravilhoso que estava por vir. Os meus maiores desejos foram realizados neste dia. Mosteiro dos Jerónimos foi de muita emoção, ao reencontrar o túmulo de Camões, que me surpreendeu ser um homem de baixa estatura, mas de grandeza na poesia e na língua portuguesa.Um grande homem! Como também Vasco da Gama que levou a língua e a nobreza dos portugueses a outras terras. Novamente fiquei enlouquecida com a arquitetura e grandeza das obras de arte alí encontradas, enriquecidas por muitas histórias e lendas. Padrão dos Descobrimentos emocionou. Mas a Torre de Belém foi como voltar ao passado, como estar no túnel do tempo, reencontrando a história e os heróis que ali viveram e trabalharam construindo a história. Lembrei das fotos dos livros de história que li na escola. As sensações por mim vividas foram resultado do presente do qual absorvi minuto a minuto. Gravei cada pedra, cada mirante, cada andar até o último, o maravilhoso e imponente Tejo, a emoção chegava ao lembrar de antepassados que por ali andaram e construiram Portugal e sua gente. Este presente não tem preço! Para acalmar as emoções fomos almoçar no restaurante maravilhoso de Santo Antão, comida maravilhosa e local hospitaleiro. Dona Fátima é cozinheira de pratos deliciosos. A noite foi de emoções ainda mais fortes. Desde jovem alimentei a ideia de  visitar uma casa de fado "castiço". Esse presente devemos ao Sr. António Fortuna, produtor artístico, homem de grande conhecimento da música portuguesa em especial o fado, simpatia, de gentileza, nos levou a "Parreirinha d'Alfama", onde pudemos ouvir vozes maravilhosas a cantar o fado com emoção e grandeza de alma. Senhor António Fortuna foi um amigo que nos permitiu viver uma noite de emoção e saudosismo, muitos fados conhecidos por mim, ao ouvir Amália Rodrigues em minha casa. Quando Maria do Carmo cantou "Foi Deus", comecei a chorar, foi muito forte para mim, foi como se eu estivesse com todos os familiares a cantar junto de mim. Foi o presente que encantou, emocionou e elevou minh'alma. Amigos, gratidão é um sentimento que pulsa no coração com força e alegria. Quando penso em todas as pessoas que movimentaram a vida para construir o dia 27/08/2010,sinto profunda gratidão, do Sr Fortuna, dos músicos, os fadista, pela minha irmã e por vocês amigos Ana e Carlos. Que Deus abençoe a todos e permita que de alguma maneira ele possa construir os sonhos de vocês e torná-los realidade, como fez para mim. Dia mágico!!!!!!!Beijosssssssssssss


BUDDHA EDEN GARDEN

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Recordar é Viver (Parte 10)

Há um ano atrás voltámos a acordar bem cedinho. Apesar de o dia amanhecer nublado e até um pouquinho frio, lá fomos cheios de energia (e a ouvir as minhas amigas sempre a perguntar onde estava o calor do nosso Verão… e eu a dizer que ele ainda ia aparecer …)
Passámos pela Figueira da Foz e Quinhendros, lugares que fazem parte das memórias dos pais da Li e da Te.
Depois de um pulinho rápido a Montemor-o-Velho, chegámos a um lugar que, para as minhas amigas e para mim, tem um carisma especial: Coimbra, cidade dos estudantes.
Passear pelas suas Faculdades, admirar a Universidade, espreitar a Biblioteca, andar pelas suas ruas e até “encontrar” com João de Deus, pedagogo (como nós), tem um sabor muito especial, pois vivemos intensamente a nossa vida universitária e imaginamos como seria vivê-la no ambiente desta bela cidade.
Almoçamos no Restaurante “Casarão” que fica bem pertinho do “Portugal dos Pequenitos”, onde as minhas amigas deram um passeio por aquelas construções que não agradam só aos pequenitos.
De Coimbra, dirigimo-nos à Batalha para visitar o belo Mosteiro de Santa Maria da Vitória e se clicar aqui pode fazer uma Visita Virtual a esse monumento.
“A construção do Mosteiro de Santa Maria da Vitória, iniciou-se em 1387 ou 1388, por vontade de D. João I para assinalar a vitória na Batalha de Aljubarrota e, quase ao longo de 200 anos, até cerca de 1533, mobilizou extraordinários recursos humanos e materiais, proporcionando a introdução e o aperfeiçoamento de várias técnicas e artes em Portugal.
O Mosteiro representa um marco histórico na arquitectura portuguesa, numa grandiosa construção do período final do Gótico, onde assistimos ao nascimento do importante estilo Manuelino que daqui irradiou para todo o país. A junção de vários estilos no Mosteiro deve-se ao grande número de mestres que dirigiram as obras, nomeadamente Afonso Domingues, Huguet, Martins Vasques, Fernão D`Évora e Mateus Fernandes.
No Século XVI, na década de 30, foi construída a Tribuna das Capelas Imperfeitas, constituindo a última intervenção no Mosteiro.
Alguns historiadores defendem que foi no Mosteiro da Batalha que se praticou pela primeira vez em Portugal a técnica do Vitral – oriunda do centro da Europa. Os vitrais da Capela-Mor e da Casa do Capítulo, de 1514, são magníficos testemunhos desta arte ancestral.
A doação do Mosteiro à Ordem Dominicana em 1388, foi prestigiante para a Vila, nomeadamente ao nível dos estudos aí ministrados.
A extinção das Ordens Religiosas em Portugal, em 1834, levou ao abandono do então chamado Convento dos Dominicanos. D. Fernando II impressionado pelo estado em que se encontrava o edifício, deu início às obras de restauro do monumento, sob orientação de Luis da Silva Mouzinho de Albuquerque.
Em 1907 foi-lhe atribuído a classificação de Monumento Nacional e em 1983 a UNESCO reconheceu-o como Património Mundial da Humanidade, tendo-lhe sido em 2007 atribuído o título de Maravilha de Portugal.
E retornámos a casa com esta Maravilha de Portugal impressa no nosso olhar e imensamente felizes por ver a grande satisfação que as minhas amigas tiveram ao ver este lindo Mosteiro.


E do outro lado do oceano, no presente;

- A Te "diz":

ANA
CRESCI OUVINDO A MINHA AVÓ DIZER QUE TODA SEMANA IA A PÉ DA SUA TERRA ATÉ COIMBRA PARA FAZER COMPRAS E VENDER PRODUTOS. COITADINHA, COMO É LONGE!!!!!!E AINDA CHEIA DE ENCOMENDAS!!! UI !!
É BEM VERDADE QUE  EU JÁ CONHECIA ESTA BELA CIDADE, HÁ 12 ANOS ATRÁS COM O MEU PAI, ENTRETANTO VER COM A LI E COM VOCÊS, FEZ MUITA DIFERENÇA.
COIMBRA É UMA CIDADE QUE TRANSBORDA CONHECIMENTO E CULTURA. É TÃO BONITO PODER VER TANTO O CONJUNTO ARQUITETÔNICO DAS UNIVERSIDADES QUANTO AS IMPONENTES SÉ NOVA E SÉ VELHA. DESLUMBRANTE!!!
VOCÊ BEM SABE ANA, QUE AQUI NO BRASIL, O MÁXIMO QUE POSSUÍMOS EM ARQUITETURA É DE NO MÁXIMO, DO ANO DE 1500 . OU SEJA, A NOSSA BELEZA É MUITO MAIS A NOSSA NATUREZA QUE TRANSBORDA EM CORES E AROMAS DO QUE A NOSSA HISTÓRIA.
MAS, ENTRAR NA EUROPA E VER TODA A SUA HISTÓRIA COM TANTA DIVERSIDADE HISTÓRICA ENCHEM OS OLHOS DE QUEM ADMIRA ESTAS MARAVILHAS.
JÁ NA BATALHA, VER UMA OBRA TÃO IMPONENTE DEIXA A SENSAÇÃO DE VIAJAR NO PASSADO E TENTAR IMAGINAR AS INÚMERAS PESSOAS QUE TRABALHARAM ANOS AFIM PARA LEVANTAR UM MOSTEIRO TÃO BEM CONSTRUÍDO NOS SEUS VÁRIOS ESTILOS.
COMO É BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM VIAJAR E APRENDER COISAS NOVAS!!!!!!
BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL

- A Li "diz":

Ana,
Acordar cedo para ver lugares lindos faz bem ao corpo e a alma. O verão de Sobreiro nada se parece com o calor de minha terra, mas é convidativo, nos faz transpirar e aquecer a alma. Conhecer as terras de nossos avós e bisavós foi emocionante. Locais que ouvimos desde crianças, contados em detalhes, sobre como era a vida naqueles tempos longínquos. Meu Deus...chegar a Coimbra, colinas majestosas, cantada em verso e prosa pelos meus avós e pais, com detalhes da vida, costumes e histórias familiares vividas naquela terra amiga. Nela vieram as lembranças da faculdade de Letras, onde a professora de Literatura Portuguesa contava sobre a Universidade, sobre a cultura que pulsa naquele ambiente de tantos poetas e  homens que trouxeram vida e luz a língua portuguesa. O que senti em Coimbra foi um misto de saudade, de recordações, de brilho nos olhos, gravei cada imagem, cada pedacinho de chão, cada minuto vivido nesta bela cidade. As estátuas enormes, imaginar tantas mentes brilhantes que por lá passaram, tantos artistas que trabalharam na construção de cada espaço histórico. Cada rua fazia recordar as histórias narradas de uma tia-avó que trabalhou na Faculdade de Medicina, na limpeza das salas; de mamãe contando sobre os estudantes e suas capas pretas, e as tunas e suas guitarras entoando músicas. O almoço foi delicioso. Portugal dos Pequenitos, outro local de tantas histórias familiares. Cada uma de nós elegeu a sua morada. Mosteiro de Santa Maria da Vitória, ou como eu sempre ouvi de mamãe, Mosteiro de Batalha, fiquei emocionada. Novamente, a história pulsa com muita força de família. A história e a riqueza de obra tão magnífica me deixou fascinada. Como cega tocava os redilhados de cada pilastra, de maneira que pudesse gravar na memória, através do tato, aquela obra de arte deixada por artistas anônimos que construiram a história da arte em Portugal. Talvez um dia eu consiga expressar em palavras a gratidão que tenho por Ana e Carlos, ao permitir que nós pudéssemos vivenciar tantas emoções, recordar tantas histórias, viver tantas alegrias e emoções. As sensações levarei para sempre comigo nas lembranças, nas impressões do meu espírito. Beijos

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Recordar é Viver (Parte 9)

Há um ano atrás levámos minhas amigas à descoberta do Alentejo (região que adoro), mas sem antes parar na “Casa das Queijadas”, no Porto Alto, para saborear umas maravilhosas queijadas. Nesta casa há sempre novas queijadas e têm uma variedade que torna impossível comer uma só.
Arraiolos
Seguimos caminho levando, como sempre, a boa disposição e alegria.
Minha amiga Te faz bordados de Arraiolos e não podíamos deixar de visitar a origem desses bordados. Em Arraiolos, tive que dar a provar às minhas amigas e ao maridão, o "pastel de toucinho" que, ao contrário do que o nome pode sugerir, é um doce delicioso.

Passeámos pelas ruas, entrámos em algumas lojas (cujo atendimento não foi nada de especial, enfim!) e continuámos nosso passeio, desta vez, com destino a Évora, “Património Mundial”, onde almoçámos no Restaurante “De Boa Fé” e aqui, sim, o atendimento foi acolhedor e acompanhado por uma comida bem saborosa.
Évora
Após o almoço percorremos as suas ruas, vimos a sua arquitectura, as suas igrejas, … ; e partimos para as terras de Monsaraz para apreciar aquela vasta e linda paisagem alentejana, do seu castelo.

Se seguida, fomos visitar uma obra dos tempos modernos: a Barragem do Alqueva.
Infelizmente, o progresso, muitas vezes, obriga a sacrifícios e fizemos uma paragem na nova Aldeia da Luz, onde visitámos o Museu da Luz. Este museu é mesmo merecedor de uma visita atenta. Saímos de lá completamente emocionadas.
Clic na imagem para ver mais fotos.
Seguimos caminho e fomos parar num lugar que possui um passado bem longínquo: Cromeleque dos Almendres.
“O recinto megalítico dos Almendres, um dos maiores monumentos públicos da humanidade, constitui o maior conjunto de menires estruturados da Península Ibérica e é um dos mais importantes da Europa. Este monumento megalítico inicialmente era constituído por mais de uma centena de monólitos. A sua escavação permitiu a detecção de várias fases construtivas ao longo do período Neolítico (V e IV milénios a. C.), até alcançar aspecto semelhante ao hoje apresentado. 92 menires com diferentes formas e dimensões, desde pequenos blocos rudemente afeiçoados, outros maiores que deram ao local o nome de Alto das Pedras Talhas. Formaram dois recintos erguidos em épocas distintas, geminados e orientados segundo as direcções equinociais. Uma dezena de monólitos está decorada exibindo relevos ou gravuras. Foi um monumento com funções religiosas e, provavelmente um primitivo observatório astronómico. O monumento está situado na Herdade dos Almendres, propriedade de José Manuel Neves.” (fonte: http://www.guiadacidade.pt/pt/poi-cromeleque-dos-almendres-14482)
Mas ainda restava um pouco do dia e rumámos às Salinas do Rio Maior.
“Estas salinas são únicas no país e são fruto de uma maravilha da natureza. A água salgada provém de uma extensa e profunda mina de sal-gema, que é atravessada por uma corrente subterrânea de água doce, que se torna depois salgada. Trata-se de sal puro (97,94% de cloreto de sódio), que é recolhido nos talhos pelos marinheiros (designação dada aos salineiros).” (fonte: http://www.regiaoderiomaior.pt/marinhas.htm)
Infelizmente, seguimos a orientação do GPS e demorámos mais tempo do que era esperado. Chegámos já ao por do sol e não deu para ter a bela visão que se tem com dia claro. Restou-nos jantar no “Solar do Sal”.
Mas apesar deste contratempo, as minhas amigas mantiveram a boa disposição e a alegria. Como é bom viajar em Boa Companhia.


E do outro lado do oceano, no presente;

- A Te "diz":

ANA
MAIS UM DIA DE GRANDES ROTEIROS!!!!
PRIMEIRO: O QUE SÃO AQUELAS QUEIJADAS DO PORTO ALTO??????? GENTE, AQUELES DOCES SÃO DELICIOOOOOOOOOOOOOOOOOOSOS!!!
PARA QUEM GOSTA, A PARADA É OBRIGATÓRIA!!!!! UM DIA, DESEJO LÁ VOLTAR!!!!!! POSSO?

EM SEGUIDA ARRAIOLOS.
QUE CAPRICHO!!!!DEPOIS DE VISITAR TANTAS LOJAS E COMPRAR ALGUNS ARTESANATOS E REVISTAS, PARA GUARDAR DE RECORDAÇÃO, TIVE A CERTEZA QUE TAMBÉM SOU CAPRICHOSA!!!!

AO COMPARAR OS BORDADOS QUE FAÇO EM MEUS TAPETES, COM O TALENTO QUE SE APRESENTA NA ALDEIA, PUDE PERCEBER QUE APRENDI DIREITINHO A LIÇÃO!!!!E PARA ADOÇAR A BOCA, AQUELE PASTELZINHO DE TOUCINHO ESTAVA DIVINO!!!!
MAIS ALÉM, ÉVORA. QUE LUGAR HISTÓRICO!!!! QUE CENÁRIO !!!!!DEPOIS, OUTRO BELO ALMOÇO!!!!
E A BARRAGEM DE ALQUEVA? QUE LUGAR ALTO!!!! DÁ ATÉ FRIO NA BARRIGA OLHAR LÁ PARA BAIXO!!!!!
SABE ANA, TENHO UM POUCO DE MEDO DE ALTURA. QUANDO VISITEI A BARRAGEM FIQUEI IMAGINANDO COMO ELA FOI CONSTRUÍDA. AINDA BEM QUE EU SOU PROFESSORA E NÃO PRECISO FICAR TRABALHANDO PENDURADA A CORDAS. ESTARIA CONSTANTEMENTE EM PÂNICO.
E A EMOÇÃO DO MUSEU DA LUZ? COMO É TRISTE TER QUE ABANDONAR A SUA TERRA NATAL POR CAUSA DO PROGRESSO. QUANTAS HISTÓRIAS SE PERDERAM DENTRO DAQUELAS ÁGUAS!!!! ENTRETANTO, O BOM DISSO É QUE OUTRA CIDADE FOI CONSTRUÍDA E ELES TIVERAM A OPORTUNIDADE DE SE ACOMODAR COM DIGNIDADE. MELHOR DO QUE AS PESSOAS QUE PERDEM TUDO EM "SURPRESAS" TSUNAMES.
E CROMELEQUE??? NUNCA HAVIA VISTO ALGO PARECIDO. QUE INTERESSANTE A DISPOSIÇÃO DAS PEDRAS!!!!
E PARA TERMINAR, MARINHAS DO SAL!!!OUTRA IMAGEM PARA SE GUARDAR NAS FOTOGRAFIAS E NA MEMÓRIA. MESMO A NOITE, A IMAGEM ERA INTERESSANTE!!!! ACREDITO QUE DE DIA, CONSEGUIRÍAMOS VER ATÉ O LOCAL COM PESSOAS A TRABALHAR.
ANA E CARLOS, VOCÊS SÃO OS MELHORES GUIAS DE TURISMO QUE EU JÁ TIVE NA VIDA. NUNCA FIZ UMA VIAGEM ONDE UM GUIA ME EXPLICASSE TÃO BEM E ME MOSTRASSE LOCAIS TÃO INTERESSANTES E SIGNIFICATIVOS. MUUUUUUUUUUUUUUUUUITO OBRIGADA!!!
VOU DEVER ESSA PARA O RESTO DA VIDA!!!!!

BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL

- A Li "diz":

Ana,
Alentejo foi deslumbrante. Creio que você sabe o que me causa apresentando a "Casa das Queijadas". Tens a noção do desespero em ver as tais queijadinhas? Fico enlouquecida, pois um ser humano não pode viver sem queijadinhas de amêndoas e todas as outras variedades. Penso que ficarei este final de semana refletindo sobre as próximas variedades que terei que saborear quando puder retornar.Arraiolo foi surpreendente, adorei ver os bordados, tapetes e toalhinhas, que artesanato bonito e de excelente qualidade e bom gosto; bem como provar o pastel delicioso de toucinho. Évora foi um encanto ver as largas ruas, a  arquitetura e a história. Eu estudei muito sobre a história de Évora, em História da Arte, e nunca imaginei que um dia poderia ver ao vivo tudo aquilo que meus professores apresentavam com riquezas de detalhes e de história.Não esqueço o prato "Bochecha de borrego"...UAU!!Nem sabia que se comia isso!!! BACALHAU SEMPRE!!!! Monsaraz dá a alegria de estar em terras alentejanas, lindas histórias e mais vistas encantadoras. Barragem de Alqueva é deslumbrante, imensa e valoriza os tempos modernos. Amei o Museu da Luz. Lá verti algumas lágrimas ao ouvir as narrativas dos antigos ao deixarem suas moradas para viver num futuro mais próspero.Somos saudosistas com a história de nossa vida e de nossos antepassados. Cromeleque dos Almendres foi espantoso. Nunca imaginei em conhecer tal lugar. Nem imaginava que este existia. Mais histórias e geografia surpreendentes. Para enriquecer ainda mais este dia o desfecho em
Marinhas do Sal. Ficamos fascinadas com tanto conhecimento e beleza do trabalho exercido ali. Apesar de estar escuro, fiquei encantada como se fosse dia. O jantar maravilhoso encerrou este dia...mais um inesquecível. Quero ratificar aqui, de como meus amigos, Carlos e Ana, construiram tanta alegria e felicidade para dividir conosco e acrescentar o conhecimento de histórias carregadas de sentimento, de vida e de cultura. Amigos serei eternamente grata por tantas histórias vividas em tão pouco tempo. Beijos

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Recordar é Viver (Parte 8)

Há um ano atrás, levámos minhas amigas a um lugar que eu acho que tem uma certa magia: Sintra.
Começámos pelo Palácio Nacional da Pena, um conjunto harmonioso de estilos. Como tirámos fotografias! E como tinha visitantes!
Depois descemos à Vila, atravessámos o parque que na minha infância chamava-se "Parque Salazar", e fomos visitar outro palácio: o Palácio Nacional da Vila ou Paço Real ou Palácio da Vila.
Aquelas chaminés estão presentes nas minhas memórias desde os meus tempos de criança.

Almoçamos no Restaurante Xentra. Um ambiente muito acolhedor e boa comida.
Ainda demos umas voltinhas por essa Vila tão especial.
As minhas amigas deliciavam-se e como era tão bom vê-las admirar as paisagens, as casas, os jardins...

E para terminar o dia, fomos espreitar outra Vila: a Vila de Óbidos; que era um desejo da Li.
É uma vila com muita história, igrejas lindas.
Gosto imenso de andar pelas ruas de Óbidos. Para "passear" um pouquinho, basta clicar na foto.
Mas foi só uma espreitadela pois a Vila de Óbidos merece uma visita mais detalhada que já está agendada para a próxima viagem. Certo, meninas?

(imagem tirada da net)

E do outro lado do oceano, no presente;

- A Te "diz":

ANA

OUTRO LUGAR QUE ADOREI EM PORTUGAL FOI O PALÁCIO DA PENA. QUE LINNNNNDO!!!!!!
COMO ADOREI A VISTA DA SACADA DO QUARTO DA RAINHA, OS APOSENTOS REAIS, A ARQUITETURA DO PALÁCIO E POR INCRÍVEL QUE PAREÇA, O AR GELADO DO ALTO DA MONTANHA. AR PURO E SAUDÁVEL!!!!!!
OUTRA ALEGRIA FOI TER CAMINHADO, A PÉ, PELAS RUAS DE SINTRA. UAU!!!!
QUANTA GENTE DIFERENTE E AO MESMO TEMPO TÃO PARECIDA!!!!!
E O ALMOÇO NO RESTAURANTE XENTRA???
OUTRO LUGAR QUE EU INDICO!!!COMIDA BOA, ÓTIMO ATENDIMENTO E MUUUUITA HOSPITALIDADE!!!!AMEI!!!!!
PARA ENCERRAR MAIS UM MOMENTO ADMIRÁVEL!!!!! ENTRAR EM ÓBIDOS AO ENTARDECER E SAIR QUANDO A NOITE JÁ HAVIA SE INSTALADO. QUE SHOW!!!!
CERTO, ANA. ÓBIDOS PRECISA DE UMA VISITA MAIS DETALHADA!!!!!
REALMENTE FOI MAIS UM DIA DE MUITA HISTÓRIA, MUITAS FOTOGRAFIAS E MUITA ALEGRIA!!!!!
BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!

- A Li "diz":

Amiga,
Sintra é imponente, sóbria e sofisticada, traz a todos nós lembranças de tanta história contada com riqueza de detalhes, sons, cores e muitos nomes. A natureza se harmoniza com a realeza, criando um ar majestoso. Amei cada pedacinho desse chão e de todas as histórias contadas. O almoço em Xentra ficou inesquecível. Comida maravilhosa e ambiente acolhedor. Óbidos, foi meu sonho encantado. Sempre desejei conhecer e quando cheguei o espetáculo foi ainda maior que o esperado. Sabe Ana, cada segundo vivido em Portugal marcou meu ser profundamente, foram marcas deixadas pelas belíssimas histórias, lendas, riquezas da natureza, traços da realeza, hábitos peculiares de um povo tão cheio de histórias e belas imagens que ficaram na lembrança e que desejo retornar. Aceito de coração um retorno a Óbidos!!!!! Amei a idéia!!!! Ginginha deliciosa, artesanato lindíssimo!!!! Retorno a Portugal!!!!!!!! Beijossssssss

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Recordar é Viver (Parte 7)



Há um ano atrás, acordámos bem cedinho para iniciar um longo passeio para terras completamente desconhecidas das minhas amigas.
Atravessámos a Ponte Vasco da Gama com os seus 17,2 km, a maior ponte da Europa (por enquanto, pois a Alemanha e a Dinamarca tencionam construir uma com 18 km, ligando os dois países através do Mar Báltico), rumo ao sul.
E foi mesmo bem na “pontinha” deste país que chegámos.
“A Fortaleza de Sagres, que ainda mantém a sua orgulhosa altivez, foi mandada construir pelo infante Dom Henrique, com intuito defensivo. A sua origem remonta, pois, ao século XV, embora tenha sofrido várias alterações desde essa altura. No seu interior, e provavelmente do mesmo século, uma gigantesca rosa-dos-ventos, com mais de 40 metros de diâmetro, está desenhada com pedras no chão. Segundo a lenda, foi na península isolada da Ponta de Sagres que Dom Henrique, o Navegador, construiu no século XV uma fortaleza para enviar os seus marinheiros na missão de explorar os mares desconhecidos. ”
“O Cabo de São Vicente, varrido pelo vento, situa-se no extremo sudoeste da Europa. Os romanos chamavam-lhe o Promontório Sacro e, na Idade Média, acreditava-se que era o fim do Mundo: hoje, a paisagem ainda nos parece impressionante, com grandes penhascos enfrentando o Atlântico onde as ondas cavaram cavernas profundas.
Diziam na Antiguidade (século VI a. C.) que este lugar era dedicado a Saturno, e que "assusta pelos seus rochedos, este ponto da rica Europa, que entra pelas águas salgadas do oceano povoado de monstros".
No período romano, é Estrabão que alega ser "o ponto mais ocidental da Ibéria, onde não é permitido oferecer sacrifícios nem pernoitar, pois dizem que os deuses o ocupam a essas horas". E o povo de Sagres concluía que o Sol deste lugar emitia ruído quando se punha em cada dia...”
Estes dois lugares também foram novidades para mim e para o maridão. Gostámos muito de os conhecer mas gostámos muito mais da satisfação que a Li e a Te demonstravam ao explorá-los. Elas nem sentiam o calor que fazia. Ao ver a alegria delas, sentíamos muito mais felicidade.
Depois de mais um “mergulho” na história, optámos por realizar um piquenique, e seguir viagem para apresentar as terras do meu maridão: Odemira.
Passeámos por suas ruas, pelo Jardim da Fonte Férrea (que tem este nome por causa da fonte de águas ferrosas que possui), pelo passeio à beira do rio Mira, onde podemos admirar a escultura "A Árvore" que é de autoria de Aureliano Aguiar, feita a partir de objetos de ferro usados no século XX. Inaugurada em Abril de 2000, a "Árvore" situa-se na Rotunda do Lagar, na vila de Odemira.
Sempre que passamos por Odemira não podemos deixar de ir visitar a “nossa” praia: Almograve. Meu marido até cedeu à tentação e foi dar uns belos mergulhos.
E para terminar o passeio por estas bandas, demos um “pulinho” a Vila Nova de Milfontes.
Regressando a casa e até à próxima recordação.


E do outro lado do oceano, no presente;

- A Te "diz":

ANA
AGORA A MINHA LEMBRANÇA VEM DA MINHA MÃE.
VOCÊ NÃO IMAGINA QUANTAS VEZES EU ESTUDEI SOBRE SAGRES NOS BANCOS ESCOLARES. E QUANTAS VEZES OUVI MINHA MÃE FALAR SOBRE O INFANTE DOM HENRIQUE!!!!!
QUANDO CHEGUEI A SAGRES A MINHA ALEGRIA ERA IMENSA!!!!!!! EU ESTAVA VIVENDO A HISTÓRIA DOS MEUS LIVROS ESCOLARES SÓ QUE AO VIVO E COM TODAS AS CORES QUE EU PODIA VER!!!!!
E OS PENHASCOS DO CABO DE SÃO VICENTE????? QUE SHOWWWWWWW!!!!!!!
QUE IMAGEM FORTE E AO MESMO TEMPO DESLUMBRANTE!!!!!

E ODEMIRA???? COMO GOSTEI DA VILA!!
OS JARDINS, AS MARGENS DO RIO MIRA, A ÁRVORE FEITA DE FERRO, TUDO MUITO BONITO!!!!

ANA E CARLOS, MAIS UMA VEZ VOCÊS FORAM MARAVILHOSOS!!!!!!!! CADA PASSEIO NOS TRAZIA A LEMBRANÇA DA INFÂNCIA E DA FAMÍLIA.
FOI UM DIA MUUUUUUUUUUUUUUUITO ESPECIAL PARA MIM!!!!!

BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!!

- A Li "diz":

Amiga,
Passear pela história de PORTUGAL é fascinante e majestoso. Conhecer Sagres foi reviver minha infância, as histórias contadas pelos avós e pais sobre o Infante D. Henrique- homem forte que levou Portugal aos mares e pelo mundo. Meus estudos na faculdade de Letras, ao conhecer sobre localidades, poetas e grandes homens que divulgaram a língua portuguesa com toda a força pelo mundo. Ao conhecer e passar pela história foi possível reviver fatos e lendas, atravessar o Atlântico junto a vultos da história. Sagres foi a emoção a flor da pele. Senti-me em casa, aconchegada na história de meus antepassados. Senti-me criança, senti a força de um passado forte bem junto a mim. Quanta riqueza, quanta história, quantos escreveram a história como bravos guerreiros na luta pela sobrevivência ..."em mares nunca d'antes navegados". Caminhar em Odemira foi sentir o clima bucólico de uma gente tão simples e tão humana. Passear às margens do Rio Mira foi encantador, sentir o ar, o rio caminhando com toda sua força e majestade, com as aves buscando matar a sede e o calor do verão tão alegre. Mais história para aumentar nossa paixão por tanta arte, beleza e respeito a natureza. A praia de Almograve achei-a linda. Tem um aspecto selvagem, forte e linda. O passeio por Vila Nova de Milfontes encerrou o dia com aquela vontade de quero voltar mais vezes. Ameiiiiiiiiiiiii!!!!!! Beijosssss

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Recordar é Viver (Parte 6)

Há um ano atrás proporcionámos às minhas amigas um “tour saloio”. 
Desta vez, também não acordámos de “madrugada”, para dar oportunidade a que o corpo recuperasse para os próximos passeios mais longos.
Depois de um bom pequeno-almoço (e este acho que foi na Pastelaria Pólo Norte que também tem uns doces fantásticos), fomos visitar o Palácio Nacional de Mafra (que teimam em dizer que foi construído com o ouro do Brasil. Esquecem de mencionar um pequeno detalhe: foi construído com um quinto do ouro do Brasil, pois os outros quatro quintos ficavam no próprio Brasil para a construção de todas as infraestruturas necessárias).
Após a visita a este lindo lugar, fomos providenciar o que viria a ser o nosso almoço e enquanto o maridão preparava-o, assistimos a um Cortejo Etnográfico.
Pessoalmente aprecio muito estes cortejos. Eles mostram um bocadinho do nosso passado, das nossas tradições. E sem respeito pelo passado, não há futuro. Não falo com tom de saudosismo mas, principalmente, em tom de reflexão. Analisando o nosso passado, podemos melhorar o que havia de bom, mudar o que estava mal e manter o que estava bem. Enfim, é o que eu acho.
Assim que o Cortejo terminou, começou o nosso almoço: uma sardinhada (com direito à companhia de Tejo e Kibon).
Adoro estes almoços “fora” quando pomos mesa e bancos no quintal e vamos comendo as sardinhas acabadinhas de sair da grelha e podendo ter os cães ao meu redor.
Nem todas as pessoas aceitam bem a companhia dos cães e, por vezes, por respeito a elas, prendo-os para evitar incómodos. Mas com estas amigas… foi um espectáculo; aliás, foi MAIS um Almoço Familiar.
Após o almoço fomos visitar um Mini-Museu que se localiza numa localidade chamada Santa Susana. Um museu cujas peças, cenários e atividades da vida campestre ao logo das estações do ano, foram construídas por um oleiro. Pequeno mas muito bem elaborado e interessante.
Para terminar o “tour saloio”, passeámos pelas ruas da Ericeira, “onde o mar é mais azul”, sem deixar de saborear o doce típico “ouriço”, acompanhado por um cafezinho. E aqui enganei bem a Te, pois ela pensava que ia obrigá-la a comer um marisco. No final das contas, todos pedimos mais "ouriços".
Até amanhã.


E do outro lado do oceano, no presente;

- A Li "diz":

Ana,
Mais um dia de pura magia.O café matinal era o aconchego para iniciar o dia cheio de aventuras e histórias lindas. Visitar O Palácio Nacional de Mafra  foi simplesmente um banho de história, de riquezas dos hábitos da época. A fascinação pela vida dos viventes, transporta a todos nós, como numa máquina do tempo, ao passado que pulsa cheio de vida em cada canto, cada trabalho de artesão, cada mobiliário. O Cortejo do Limão nos proporcionou recordações das histórias dos antepassados ao relatarem as festas tradicionais das aldeias na época da colheita. Muita emoção! O almoço foi o ponto alto deste dia. Carlos nos deu a alegria de ter um almoço em família, e família completa mesmo, Carlos, você, a Te, eu e os bebés. Neste momento senti-me em casa.  Agradeço o momento tão familiar com Kibon e Tejo. Que sardinhas deliciosas! O Mini-Museu , de Santa Susana, foi um belo local para recordar um Portugal antigo e campestre. Ameiiiiiiii!!!!! Ericeira foi o cantinho do céu! Aqui você enganou direitinho a nós. Ouriços deliciosos!!!! Comer as delícias de ouriços e sentir o calor do sol que brilhava na praia causou momentos inesquecíveis! Um livro será pouco para tantas memórias,as imagens são as lembranças vivas. Beijos.

- A Te "diz":

ANA
CRESCI OUVINDO MEU PAI FALAR DA GRANDIOSIDADE DO PALÁCIO DE MAFRA.
POR ISSO EM 98, QUANDO ESTIVE, COM ELE, A PRIMEIRA VEZ NESTE LUGAR, ELE VOLTOU A ME CONTAR MAIS UM POUCO DA HISTÓRIA QUE HAVIA APRENDIDO COM O SEU PROFESSOR.
QUE AULA!!!!!
AÍ, 12 ANOS DEPOIS,EU ESTAVA LÁ, DE NOVO, NA MAJESTOSA MAFRA, SÓ QUE AGORA JUNTO A MINHA IRMÃ.
COMO O PALÁCIO É LIIIIIINDO!!!!!!
AMEI A BIBLIOTECA, AS GRANDES ESTÁTUAS NO HALL DE ENTRADA, OS GRANDES SALÕES E SUAS HISTÓRICAS
DECORAÇÕES.......
DEPOIS DE 2 HORAS DE VISITA, UFA!!!!NOSSO APETITE FOI AUMENTANDO!!!!! E PARA NOSSA GRATA SURPRESA O CARLOS SERIA O NOSSO GRANDE CHEFE DE COZINHA.
NOSSO MENU: SARDINHAS ASSADAS. HUMMMMMMMMMMMMMM, QUE DELÍCIA!!!!!
E OS BEBÊS????? COMO NOS ADMIRAVAM EM NOSSO ALMOÇO!!!! QUE FOFOS!!!!! QUE EDUCADINHOS!!!!!! QUE DELÍCIA ESTE ALMOÇO DE DOMINGO!!!!!!
AÍ, VEIO UMA PITORESCA PARTE PARA QUEM É TURISTA. UM TÍPICO DESFILE DE TRADIÇÕES PORTUGUESAS!!!! MÚSICA, DANÇA, VESTUÁRIO TÍPICO, ARTESANATO E MUITA ALEGRIA.
DEPOIS DE TERMOS COMIDO, BEBIDO, DADO MUITAS RISADAS, TIRARMOS MUITAS FOTOS, FOI A HORA DE DARMOS UMA SAIDINHA E VISITARMOS SANTA SUZANA E ERICEIRA.
AÍ VEIO A BRINCADEIRINHA DA ANA PAULA!!!!
OUVIR FALAR DAQUELES OURIÇOS BEM QUE ME CAUSOU UM CERTO DESCONFORTO. CONFESSO QUE NÃO APRECISO FRUTOS DO MAR E COMER OURIÇO, QUE HORROR!!!!!!! COMO FALAR A UMA AMIGA QUE EU NÃO CONSEGUIRIA COMER OS TAIS OURIÇOS?????
QUANDO CHEGUEI AO LOCAL E VI QUE OS OURIÇOS ERAM MUITO DOCINHOS, QUE BELEZA!!!!!! AÍ SIM, REPETI VÁRIAS VEZES E AINDA LEVAMOS ALGUNS PARA CASA. EHEHEHEHEHEEHEH
QUE BELO DOMINGO!!!!!!!
BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!!

domingo, 21 de agosto de 2011

Recordar é Viver (Parte 5)

(clic na imagem para uma Vista Virtual)
Há um ano atrás, levámos minhas amigas a dois lugares bem distintos: um com grande carga histórica e o outro com grande carga emocional.

Primeiro fomos a Alcobaça para visitar um dos mais belos monumentos do mundo: o célebre Mosteiro de Santa Maria fundado em 1148 por D. Afonso Henriques. Neste mosteiro, encontram-se os túmulos de D. Pedro e D. Inês de Castro.
E aqui, mais uma vez, fui beneficiada por estar tão bem acompanhada, pois como a Li sabe latim, traduziu o que estava escrito nos azulejos da Sala dos Reis. Depois de observarmos e admirarmos tão belo Mosteiro, fomos satisfazer o nosso estômago que já reclamava.
Acredito que há uma grande variedade de lugares ótimos para tomar uma bela refeição mas nós quisemos “jogar pelo seguro” e encaminhámos as minhas amigas para um restaurante que já era nosso conhecido: “Restaurante António Padeiro”; onde podemos unir ótima comida, com um ótimo atendimento e uma típica decoração.
Após uma bela refeição, terminada com uma deliciosa “barriga de freira”, fomos ao encontro da famosa e bela louça de Alcobaça. Foi difícil decidir pois a escolha é muito variada mas uma constante foi o atendimento sempre educado e simpático.
Feitas as compras deixámos Alcobaça mas “com a certeza de lá voltar” e dirigimo-nos para um lugar que “mexe” muito com as nossas emoções: Fátima.
Em Fátima, levei minhas amigas ao Museu da Vida de Cristo, para admirar as 210 figuras de cera. Mesmo para quem não é cristão, vale a pena admirar tamanha perfeição.
Não sou católica, nem professo nenhuma religião, mas gosto de visitar o Santuário de Fátima fora dos dias de grande aglomeração e sempre que o faço, sinto uma forte emoção. Não sei explicar por quê. Não sei se é por lembrar sempre de minha mãe e da grande fé que ela possuía; não sei se é por sempre lembrar todos os obstáculos que já tive que ultrapassar; não sei se é por refletir em todas as vitórias que alcancei…
Desta vez, não foi diferente. Aliás, foi diferente na medida que esta emoção foi compartilhada por grandes amigas, muito especiais, que também a viveram intensamente.

Obrigada, Alice e Terezinha, pela grande paz que me proporcionaram.




E do outro lado do oceano, no presente;

- A Te "fala":

ANA
MAIS UM DIA IMPORTANTE PARA MIM E PARA A LI.
PRIMEIRO, ALCOBAÇA. QUE BELO MOSTEIRO!!!!!!! COMO O INTERIOR DO MOSTEIRO É BELÍSSIMO!!!!!COMO A SUA HISTÓRIA É RIQUÍSSIMA E INTERESSANTE!!!!!
E O ALMOÇO????? QUE ESPETÁCULO DE RESTAURANTE!!!!!
ANA, TENHO QUE TE CONFESSAR QUE FOI UM DOS RESTAURANTES QUE EU MAIS AMEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEI. A COMIDA FOI MARAVILHOSA, OS DOCES DIVINOS E CONFESSO QUE A DECORAÇÃO ERA MUITO BONITA!!!!!
OS PORTUGUESES NÃO PODEM DEIXAR DE VISITAR O ANTÓNIO PADEIRO QUANDO VISITAREM ALCOBAÇA, EU RECOMENDO!!!!! É PRA VOCÊ VER COMO EU GOSTEI, ANA!!!!!
DEPOIS O BELO MUSEU DA VIDA DE CRISTO. ANA, FIQUEI EMOCIONADA COM TODAS AS CENAS QUE REPRODUZEM A VIDA DE CRISTO DO NASCER ATÉ A SUA RESSURREIÇÃO.
TENHO QUE TE CONFESSAR QUE FOI UM PRESENTE QUE VOCÊ NOS DEU, NOS LEVANDO LÁ!!!!!
COMO É LINDO!!!!!
QUEM É CATÓLICO OU NÃO, DEVERIA DAR UMA PASSADINHA POR LÁ E ADMIRAR NÃO SÓ A HISTÓRIA DA VIDA DE CRISTO QUANTO ÀS BELAS IMAGENS DE CERA QUE DRAMATIZAM AS CENAS E RECEBEM VIDA ATRAVÉS DAS SONOPLASTIAS, EXISTENTES NO LOCAL.
PARA ENCERRAR, A MAIOR EMOÇÃO!!!! ENTRAR NO SANTUÁRIO DE FÁTIMA!!!!!
QUANDO EU ESTIVE NESTE LUGAR A 12 ANOS ATRÁS CHOREI. ACHEI QUE ERA POR ESTAR ENTRANDO LÁ PELA PRIMEIRA VEZ.
DESTA VEZ CHOREI NOVAMENTE. AI TIVE A CERTEZA QUE A ENERGIA DAQUELE SANTUÁRIO É DE UMA FORÇA IMENSA. ESTARMOS AS TRÊS, NAQUELE LOCAL, ME TROUXE A LEMBRANÇA DOS MEUS AVÓS E DOS TEUS PAIS. COM CERTEZA ELES ESTAVAM A NOS VER REZANDO POR ELES!!!!!!
ANA, QUE DEUS TE ABENÇOE POR MAIS ESTE DIA MARAVILHOSO!!!!!!
FICO AGUARDANDO A PARTE 6!!!!!
BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!!!

Eliminar
- A Li "fala":

Ana,
Este dia foi cheio de gratas e lindas recordações. Viver a história de Portugal tão próxima de tudo que ouvi de meus avós durante a vida e poder ver pessoalmente com tanto brilho e riqueza de fatos que você nos proporcionou foi simplesmente magnífico. O almoço no restaurante António Padeiro foi outro presente coberto de sabores, cores e histórias. Fátima trouxe um turbilhão de emoções, lembranças, saudade, alegria, sonhos realizados, foram momentos preciosos e de ligação espiritual.
Fique certa que o presente foi você quem nos proporcionou com tanta riqueza de detalhes, suspense e alegria. Seremos eternamente gratas por tanta consideração e alegrias que nos proporcionou. Saudade é a palavra de hoje! Beijos.

sábado, 20 de agosto de 2011

Recordar é viver (Parte 4)

(clic na imagem)
Há um ano atrás, acordámos um pouquinho mais tarde; afinal tínhamos que compensar o longo passeio do dia anterior. Este dia teria um passeio mais soft, misturando o passado e o futuro.
Sinceramente, já não me lembro onde tomámos o pequeno-almoço (café da manhã). Talvez mesmo em casa, talvez na “Pastelaria 7 Momentos” que possui doces maravilhosos.
De seguida fomos visitar um lugar que faz parte das minhas memórias de infância e onde gosto de levar meus alunos: Palácio Nacional de Queluz.
Não vou falar da sua história, arquitectura, jardins e coleções. Nada melhor do que visitar a origem para descobrir o Palácio, portanto, basta clicar na fotografia para obter todas as informações desejadas. E se não der para fazer uma visitinha real, que tal uma Visita Virtual?
Recordo das suas caras (e a do meu marido, também) ao entrar na Sala do Trono. Admiração. Satisfação por estar num lugar com história.
E os belíssimos jardins? E as esculturas? Sempre que visito o Palácio descubro algo em que não tinha reparado numa visita anterior. E este país tem tantos lugares que merecem visitas e revisitas…
clic na imagem e explore-o
Depois de um “banho” do passado, voltámos ao presente: Oceanário de Lisboa.
Também um lugar de muitas revisitas, principalmente, com os alunos: eles ficam fascinados pelo Tanque Central.
Aqui, não acompanhei as minhas amigas e maridão. Senti-me mal, bem mal. E por quê? Sei lá.
A única coisa em que pensava é que NÃO podia ficar doente; não agora; não nestes dias; nem pensar. À noite, tive febre. Mas, não; essa febre tinha que desaparecer. Depois de 11 anos, uma febre não iria estragar tudo.
Felizmente, não estragou.



E do outro lado do oceano, no presente;

- A Te "fala":

ANA
SÓ PARA CONFIRMAR!!!!!!! O PEQUENO ALMOÇO (CAFÉ DA MANHÃ) FOI EM CASAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!! REGADO À DOCES MUITO GOSTOSOS!!!!!!
REALMENTE ANA, QUELUZ É UM PALÁCIO CHEIO DE HISTÓRIA!!!!!
OS SÉCULOS SE PASSAM E OS COSTUMES TORNAM-SE OUTROS E QUANDO NOS DEPARAMOS COM OS MÓVEIS, UTENSÍLIOS DOMÉSTICOS, LUSTRES.... NOS APERCEBEMOS QUE OS ANOS SE PASSARAM MAS A VIDA DAQUELAS PESSOAS INFLUENCIOU AS NOSSAS VIDAS, TAMBÉM!!!!!!
E O OCEANÁRIO????
SABE ANA, HÁ 12 ANOS ATRÁS EU E MEU PAI LEVAMOS 3 HORAS NUMA FILA, NA EXPO, PARA PODER ENTRAR E VER O LOCAL. DESTA VEZ EU ACHEI O MÁXIMO, ENTRAR SEM FILA.
E A TUA FEBRE????? GRAÇAS A DEUS NÃO PROSSEGUIU O QUE GEROU O TAL DESCONFORTO. ACHO QUE DEUS OUVIU AS NOSSAS PRECES.
BEIJOS DA TEREZINHA DO BRASIL!!!!!!


Eliminar
 - A Li "fala":

Anónimo

Ana,
Mais um dia de pura emoção. O Palácio Nacional de Queluz foi para mim mistura de história e majestade. Fiquei deslumbrada e feliz com tudo que vi. A grandiosidade e modernidade do Oceanário foi outro local de encantamento. A tua febre foi causada pelo excesso de emoções vividas tão intensamente. Beijos.